COB mantém projeto na Europa, apesar de veto inicial a brasileiros

Entidade levará mais de 200 atletas para treinar no Velho Continente



O Comitê Olímpico do Brasil (COB) acredita que a Missão Europa poderá ser realizada, mesmo com o país fora do primeiro grupo de nações, cujos residentes terão entrada liberada na União Europeia partir de 1º de julho, data da reabertura das fronteiras. A manifestação da entidade, por meio de nota oficial (segue abaixo, na íntegra), destaca que a janela para execução do programa vai até dezembro e avalia que, "dentro desse intervalo", será possível continuar o planejamento. O Missão Europa visa levar atletas brasileiros para treinamentos no Velho Continente, onde a pandemia do novo coronavírus (covid-19) encontra-se estabilizada.


Os critérios estabelecidos pela União Europeia para autorizar a entrada de pessoas de fora do bloco são relacionados a providências tomadas pelos países de origem tais como estabilização ou queda da tendência de contágios pela covid-19, adoção de medidas para enfrentamento da pandemia, e número de casos por 100 mil habitantes ser inferior à média do continente (16 casos/100 mil) no último dia 15. As liberações serão revistas a cada duas semanas.


Segundo o COB, até agora, a Missão Europa prevê o atendimento a 207 atletas de 15 modalidades, vinculadas a 11 confederações. Uma delas, a do judô, estimava - até a semana passada - a permanência de 28 integrantes da delegação brasileira no continente até 23 de agosto. O foco do projeto é a preparação para a Olimpíada de Tóquio (Japão), afetada em decorrência da pandemia e às diferentes maneiras como a covid-19 se propaga no país. A principal base do Time Brasil será o Centro de Treinamento de Rio Maior, cidade a 75 quilômetros de Lisboa, capital de Portugal. O Comitê estima que o investimento na logística seja de R$ 13,7 milhões.


"Nenhuma compra de passagens aéreas foi concluída até o momento, o que só será feito com a garantia da permissão de entrada de cidadãos brasileiros em Portugal. Se não for possível, o COB vai observar os protocolos de cada esporte, o que permitirá a retomada da prática esportiva no Brasil, adequada às normas de saúde pública, definidas por cada estado e município", afirma a nota oficial, que ainda prevê a reabertura do CT Time Brasil, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, "até o final do mês de julho", obedecendo a um protocolo de retorno estabelecido pelo próprio COB.


O comunicado da entidade lembra que "atletas de diversas modalidades já estão em atividade no Brasil ou no exterior, seguindo protocolos locais, e optaram por não aderir à Missão Europa". É o caso, por exemplo, dos judocas David Moura e Maria Suellen Altheman. Em entrevista à Agência Brasil, o gestor de Alto Rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), Ney Wilson, informou que a dupla vem utilizando estruturas próprias para treinar durante a quarentena.


Por fim, a nota diz que o COB "segue trabalhando para que os atletas classificados ou com potencial de classificação para os Jogos de Tóquio tenham a oportunidade de retomar os treinamentos com tranquilidade e segurança, cumprindo todos os protocolos necessários e validados pelos serviços médicos, seja no Brasil ou no exterior".


Fonte: EBC

Últimas Notícias