Rio ocupa o 7º lugar no ranking mundial de mortalidade pela covid-19

Monitoramento é do portal Covid-19: Observatório Fluminense.

Com um índice de letalidade da covid-19 em 9,63% e de mortalidade de 48,7 por 100 mil habitantes, acima da média do Brasil, segundo dados de ontem (18), o estado do Rio de Janeiro estaria em sétimo lugar no ranking mundial de mortalidade se fosse considerado como um país.


É o que mostra o monitoramento do portal Covid-19: Observatório Fluminense, que reúne pesquisadores e estudantes de sete instituições, entre elas a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Fluminense e Universidade Estadual Paulista (Unesp), das áreas de matemática, engenharia e computação.


Na métrica de mortes por milhão, os dados analisados pelo grupo, referentes até o dia 13 de junho, coloca o estado do Rio de Janeiro bem acima da posição do Brasil no mundo. O país está na 12ª posição, com 203,3 óbitos por milhão de habitantes.


“A mortalidade da covid-19 na cidade do Rio de Janeiro está acima de 800 por milhão de habitantes, enquanto no Estado do Rio de Janeiro temos 440 por milhão. A mortalidade da covid-19 na Cidade do Rio de Janeiro só é inferior à observada em dois países (San Marino e Bélgica)”.


Segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado hoje (19), na semana epidemiológica encerrada no dia 13, o mundo apresentou uma taxa de 54,6 óbitos/1 milhão. “Dentre os países com população acima de 1 milhão de habitantes, a Bélgica apresentava o maior coeficiente (832,3/1 milhão), seguido pelo Reino Unido (611,0/1 milhão), Espanha (580,4/1 milhão), Itália (566,0/1 milhão) e Suécia (480,6/1 milhão)”.


A França aparece em sexto, com taxa de óbitos por covid-19 de 450,0/1 milhão. Segundo o epidemiologista Átila Iamarino, a Bélgica aparece em primeiro no número de mortes por milhão porque inclui nas estatísticas todos os óbitos suspeitos de novo coronavírus, não apenas os confirmados. No Rio de Janeiro, por outro lado, a tendência é de subnotificação dos casos. A Uerj aponta que apenas 7,2% dos casos de covid-19 são confirmados.


No relatório dessa semana do Observatório Fluminense, os cientistas apontam que o número de casos confirmados e de óbitos por semana epidemiológica continua crescendo em várias regiões do país, enquanto governos estaduais e municipais reduzem as medidas restritivas e voltam a permitir a circulação mais ampla da população.


“Praticamente todos os entes federativos do Brasil ainda apresentam alto contágio (apesar de decrescente), exceções são vistas no AM, CE, em PE, e RR que apresentam sinais de redução. Por outro lado, outros estados como o RS, SC, PR, MG, GO, MS e MT apresentam curvas de progresso do contágio suave em comparação aos outros estados da federação”.


Quanto à mortalidade, os pesquisadores apontam estabilidade no número de registros por semana no país e queda em Alagoas, Amazonas, Pará, Pernambuco e Rio de Janeiro.


*Agência Brasil

20 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest