banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

Pesquisadores e startups poderão testar novas tecnologias na Fazenda Urbana

Os testes poderão ser feitos durante 12 meses, com possibilidade de prorrogação.

Pesquisadores, universidades e startups do Vale do Pinhão poderão testar novas tecnologias e metodologias de produção agrícola e otimização de recursos renováveis na Fazenda Urbana do Cajuru. O espaço da Prefeitura de Curitiba é inédito no Brasil e será inaugurado na próxima quarta-feira (24/6).


A Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação já publicou um edital de chamamento público e os interessados em testar inovações no local têm até o dia 27 de junho para enviar propostas.


Em uma área de 4.435 m², ao lado do Mercado Regional do Cajuru, a Fazendo Urbana do Cajuru terá uma função educativa para quem reside na capital e vai reunir os mais modernos métodos de plantio de alimentos saudáveis, sem agrotóxicos.


O complexo, administrado pela Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), irá reunir mais de 60 projetos de agricultura orgânica, como a produção de frutas, legumes e verduras, além de ervas, temperos e chás - sempre culturas de ciclo curto. Além disso, o local terá composteiras, estufas, hortas comunitárias, canteiros elevados para cadeirantes, banco de alimentos e um contêiner que funcionará como sala de atividades.


Parcerias

O edital de chamamento é aberto a organizações sociais (OS), instituições de ensino técnico e superior, agências de inovação, aceleradoras, startups, pesquisadores e profissionais autônomos que desenvolvam projetos de inovação voltados à segurança alimentar e à sustentabilidade. Novas e aprimoramentos de técnicas de preparo de solo, plantio, cultivo, colheita, armazenamento e distribuição de produtos poderão ser testados na Fazenda Urbana.


Além disso, instituições e pesquisadores poderão avaliar no espaço da Prefeitura tecnologias que usem inteligência artificial, realidade virtual e aumentada, geração de energia limpa (coleta e reuso de águas pluviais, por exemplo), monitoramento climático e reaproveitamento de resíduos orgânicos.


Os testes poderão ser feitos durante 12 meses, com possibilidade de prorrogação, e as responsabilidades em relação a insumos, armazenamento e logística serão dos próprios parceiros. Além disso, mensalmente, precisarão enviar um relatório do estágio de pesquisa e realizar palestras na Fazenda Urbana.


De acordo com explica Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba, as parcerias têm como objetivo testar na Fazenda Urbana tecnologias e metodologias que promovam a Agricultura Urbana e os ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU.


“Uma cidade inteligente, como Curitiba, também promove a difusão de práticas e técnicas de produção de alimentos e organização comunitária, a fim de contribuir para a educação social, alimentar e ambiental da população”, justifica.


Luiz Gusi, secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, reforça que a Fazenda Urbana irá trabalhar um conceito mais amplo de segurança alimentar, já adotado pelo município.


"O espaço irá conscientizar sobre os problemas do desperdício de alimentos, consumo consciente e obesidade", salienta.


Prazos

Interessados em fazer parcerias precisam agendar uma visita técnica à Fazenda Urbana, que deve ocorrer até a próxima quinta-feira (25/6). Também há outras três etapas a serem cumpridas: além das inscrições poderem ser feitas até o dia 27 de junho, ainda é preciso apresentar a documentação até 29 de junho e assinar o termo de parceria até 30 de junho.

26 de novembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Contato

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: 41.8713-4418

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest