Bolsonaro admite recriar Ministério da Segurança Pública

Delegado Ramagem pode ser nomeado ministro



O presidente Jair Bolsonaro admite a aliados que pode recriar o Ministério da Segurança Pública -- mas ainda não definiu data. Segundo assessores, Bolsonaro adiou a ideia para o segundo semestre.


Interlocutores do presidente defendem que a pasta só seja recriada após a pandemia do coronavírus. Temem um novo desgaste em meio a crise sanitária, já que a nova pasta -- se confirmada -- será separada do Ministério da Justiça e passará a comandar a Polícia Federal.


Quando assumiu, Bolsonaro juntou a Segurança Pública com o Ministério da Justiça como exigia Sergio Moro, pois a Polícia Federal e outras polícias estariam sob seu guarda-chuva.


Sem Moro no governo, o tema voltou a ser pauta no Planalto. Só não está claro quando o presidente fará a divisão.


Para chefiar a pasta, que comandará a Polícia Federal, está cotado Alexandre Ramagem -- que era o nome do presidente para a direção da Polícia Federal, mas o ministro Alexandre de Moraes barrou a indicação.


Ramagem é amigo pessoal do presidente Bolsonaro e de sua família. Moro, quando deixou o governo, acusou o presidente de demitir Mauricio Valeixo da diretoria-geral da PF para interferir politicamente no órgão.


A acusação está sendo apurada no Supremo, no inquérito que tem como relator o ministro Celso de Mello.

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

23 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale