Policial filmado com joelho sobre o pescoço de George Floyd é preso

Crime provocou intensos confrontos raciais nos Estados Unidos



O policial Derek Chauvin, demitido após ser flagrado com o joelho sobre o pescoço de George Floyd em Minneapolis, nos Estados Unidos, foi detido nesta sexta-feira (29) e responderá por homicídio culposo (sem intenção de matar) e assassinato em terceiro grau (quando é considerado que o responsável pela morte atuou de forma irresponsável ou imprudente). Floyd morreu posteriormente em um hospital após ser detido.


Outros três policiais estão sob investigação.


A família de Floyd divulgou um comunicado, dizendo que a acusação era "bem-vinda", mas não suficiente. Eles pedem que Chauvin seja acusado de homicídio em primeiro grau (quando o autor sabe que seu comportamento irá provocar a morte), além de acusações formais contra os demais policiais.


A família anunciou ainda que está contratando um legisla para realizar uma autópsia independente em Floyd, por não confiar nos profissionais da polícia de Minneapolis.


Segundo o vice-presidente da Câmara Municipal e a ex-dona de um bar ouvidos pelo "USA Today", Floyd e Chauvin se conheciam antes do dia em que o primeiro foi detido pelo segundo: eles teriam trabalhado no mesmo bar no passado. Os dois foram seguranças em um local chamado El Nuevo Rodeo.


Maya Santamaria, que era proprietária do bar, disse que Chauvin trabalhou na entrada do local durante 17 anos, durante suas folgas como policial, enquanto Floyd fazia segurança dentro do estabelecimento.


Segundo a acusação contra Chauvin, ele manteve seu joelho sobre o pescoço de Floyd durante 8 minutos e 46 segundos no total, sendo que nos últimos 2 minutos e 53 segundos este já estava "irresponsivo".


A autópsia informa que não há "nenhum achado físico que suporte o diagnóstico de asfixia traumática ou estrangulamento".


Porém, o efeito combinado de George Floyd ser restringido pela polícia, juntamente com suas condições de saúde subjacentes e quaisquer possíveis intoxicantes em seu sistema, "provavelmente contribuíram para sua morte", de acordo com a acusação.


Floyd sofria de doença arterial coronariana e doença cardíaca hipertensiva.

27 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest