Valeixo confirma que foi pressionado para trocar superintendente do Rio

Ex-diretor da Polícia Federal prestou depoimento em Curitiba



O ex-diretor geral da Polícia Federal Maurício Valeixo confirmou nesta segunda-feira (11), em depoimento na sede da instituição em Curitiba, que foi pressionado pelo presidente Jair Bolsonaro para trocar o superintendente do Rio de Janeiro. Valeixo depôs durante mais de seis horas, como parte do inquérito que apura as afirmações do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro sobre as tentativas de interferência de Bolsonaro.


Embora não tenha falado com a imprensa após o depoimento, as declarações de Valeixo foram passadas a jornalistas. Entre outras afirmações, o ex-diretor geral disse que as pressões começaram em agosto do ano passado. O então superintende do Rio Ricardo Saadi, quer havia assumido ainda no governo Temer, teria pedido para ser substituído.


Bolsonaro teria indicado para o lugar Alexandre Saraiva, do Amazonas. No entanto, o próprio Valeixo nomeou Carlos Henrique Oliveira Souza, que era de Pernambuco. A polêmica, na época, teria provocado revolta dentro da própria Polícia Federal.


Valeixo disse também estar cansado das críticas públicas do presidente e não desejava seguir à frente da instituição, mesmo que a pressão viesse através do ex-ministro Moro e não diretamente do presidente. Ele afirmou ainda que na sua demissão, Bolsonaro teria dito a ele que não havia nada de pessoal contra ele, mas que o presidente na direção da Polícia Federal alguém com quem tivesse mais afinidade.

21 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest