Jornalistas são agredidos durante manifestação bolsonarista

Fotógrafo Dida Sampaio foi vítima de socos e pontapés



Profissionais de imprensa foram agredidos em frente ao Palácio do Planalto neste domingo (3) enquanto cobriam o ato em apoio ao governo Jair Bolsonaro e com pautas antidemocráticas e inconstitucionais. A equipe do jornal ‘'O Estado de São Paulo' foi atingida por chutes, murros, empurrões e rasteiras. Este domingo é o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.


Bolsonaro participou do ato e cumprimentou apoiadores que defendiam pautas inconstitucionais e antidemocráticas, como pedidos de fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF) e intervenção militar.


Em transmissão do protesto nas redes sociais, o presidente disse que tem "as Forças Armadas ao lado do povo" e que "não vai aceitar mais interferência". Disse, ainda, que pede a "Deus que não tenhamos problemas nesta semana, porque chegamos no limite". Ele não explicou o que pretende fazer para evitar tais interferências ou qual seria o "limite" citado.


Durante o ato, jornalistas de diversos veículos foram agredidos e hostilizados por participantes do protesto. Um motorista do "Estadão", que dava apoio à equipe de reportagem, foi atingido por uma rasteira. O fotógrafo Dida Sampaio, do mesmo jornal, foi empurrado e sofreu chutes e murros.


Ao todo, um fotógrafo, dois jornalistas e o motorista do jornal foram hostilizados e agredidos, verbal ou fisicamente. Segundo o veículo, eles deixaram o local para uma área segura, buscaram a ajuda da Polícia Militar e passam bem.


Além do "Estadão", houve agressão e ofensa a equipes da "Folha de S.Paulo", do jornal O Globo e do site "Poder360".

20 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest