Projeto de socorro ao transporte coletivo terá urgência

A prefeitura deverá fazer repasses de emergência para as empresas de ônibus



A Câmara Municipal de Curitiba admitiu, durante sessão plenária virtual de ontem, requerimento encabeçado por Rogério Campos (PSD) e assinado por diversos vereadores para votação, em regime de urgência, do projeto do Executivo que estabelece medidas excepcionais ao transporte coletivo da capital, no período de 90 dias. De acordo com a proposta da Prefeitura, a medida é retroativa ao dia 20 de março, época em muitos municípios começaram a aplicar o isolamento social.


Entre as medidas propostas pelo Município está o repasse às concessionárias de valores necessários para custeio da manutenção dos serviços, em níveis operacionais mínimos “desconsiderando-se, no período, e enquanto perdurar a situação de calamidade, custos adicionais como lucro, remuneração e amortização de capital”, diz a mensagem assinada pelo prefeito Rafael Greca.


De acordo com o líder do prefeito na Casa, os repasses nesse período deverão passar de R$ 79 milhões para R$ 38 mi. Ele defendeu que a proposta da prefeitura levará economia ao Município e que servirá para garantir o funcionamento do transporte coletivo, e não para ajudar empresários.

21 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest