STF mantém decisão que impede Adélio Bispo de conceder entrevistas

A sessão foi realizada por videoconferência

Crédito: José Cruz

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve hoje (14) a decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) que impediu Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada contra o presidente Jair Bolsonaro, de conceder entrevistas. Adélio está preso na Penitenciária Federal em Campo Grande. A sessão foi realizada por videoconferência.


O caso chegou ao STF por meio de um recurso da Revista Veja, que pretende entrevistar Adélio desde 2018. A autorização para realização da entrevista foi negada devido ao reconhecimento de que o acusado tem transtorno mental.


Ao julgar o caso, por 3 votos a 1, os ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Cármen Lucia também acrescentaram que a decisão também deve ser mantida por questões processuais. Edson Fachin divergiu e votou favor da liberação da entrevista por entender que não pode ocorrer restrição ao trabalho da imprensa.


Em junho do ano passado, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal em Juiz de Fora (MG), absolveu Adélio Bispo pela facada. A decisão foi proferida após o processo criminal que o considerou inimputável por transtorno mental.


Conforme denúncia feita pelo MPF e aceita pela Justiça, o acusado colocou em risco o regime democrático ao tentar interferir no resultado das eleições por meio do assassinato de um dos concorrentes na disputa presidencial.


A defesa de Adélio afirma que ele agiu sozinho e que o ataque foi apenas “fruto de uma mente atormentada e possivelmente desequilibrada” por conta de um problema mental.

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve hoje (14) a decisão do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) que impediu Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada contra o presidente Jair Bolsonaro, de conceder entrevistas. Adélio está preso na Penitenciária Federal em Campo Grande. A sessão foi realizada por videoconferência.


O caso chegou ao STF por meio de um recurso da Revista Veja, que pretende entrevistar Adélio desde 2018. A autorização para realização da entrevista foi negada devido ao reconhecimento de que o acusado tem transtorno mental.


Ao julgar o caso, por 3 votos a 1, os ministros Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Cármen Lucia também acrescentaram que a decisão também deve ser mantida por questões processuais. Edson Fachin divergiu e votou favor da liberação da entrevista por entender que não pode ocorrer restrição

ao trabalho da imprensa.


Em junho do ano passado, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara da Justiça Federal em Juiz de Fora (MG), absolveu Adélio Bispo pela facada. A decisão foi proferida após o processo criminal que o considerou inimputável por transtorno mental.


Conforme denúncia feita pelo MPF e aceita pela Justiça, o acusado colocou em risco o regime democrático ao tentar interferir no resultado das eleições por meio do assassinato de um dos concorrentes na disputa presidencial.


A defesa de Adélio afirma que ele agiu sozinho e que o ataque foi apenas “fruto de uma mente atormentada e possivelmente desequilibrada” por conta de um problema mental.


Fonte: Agência Brasil.

28 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest