Votação do Orçamento de Guerra é adiada para amanhã

Decisão foi tomada após reunião entre líderes do Senado



A votação da Proposta de Emenda à Constituição do Orçamento de Guerra (PEC 10/2020) no Senado, anunciada para ontem, será feita somente amanhã. A decisão de adiar a votação foi tomada em uma reunião de líderes da Casa na manhã de ontem. O relator da matéria, Antonio Anastasia (PSD), que passou o feriado em conversas com senadores, apresentará seu parecer que será seguido da discussão da matéria.


No Senado, a deliberação da matéria ainda é uma incógnita. Ontem o senador Alessandro Vieira (Cidadania) entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para impedir a votação. Apesar de não questionar no pedido o mérito da proposta, que separa R$ 700 bilhões do Orçamento para ações de combate ao coronavírus, o senador questiona a mudanças de pontos da Constituição por meio de votação remota.


Além da suspensão da análise da PEC pelo Senado, Vieira pede que a votação da matéria na Câmara, que foi favorável à medida, seja anulada. O parlamentar solicita que sejam notificados o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), e o procurador-geral da República, Augusto Aras. Maia, um dos maiores defensores da proposta, votou na Câmara os dois turnos da PEC no mesmo dia.

Últimas Notícias