Ronaldinho vai para regime de prisão domiciliar

Juiz aceitou pedido da defesa mediante pagamento de R$ 1,6 milhão



O juiz do caso do Ronaldinho, Gustavo Amarilla, aceitou nesta terça-feira o quarto pedido de revisão de medidas do ex-jogador. Com isso, brasileiro e seu irmão devem deixar a Agrupación Especializada, mas continuarão sob custódia policial em Assunção, no Paraguai.


Os advogados dos irmãos Assis ofereceram cerca de R$ 1,6 milhão e sinalizaram o Hotel Palmaroga como o local que ambos realizarão a prisão domiciliar.


Os dois estão presos desde o dia 6 de abril, quando foram flagrados portando identidades falsas. O motivo da viagem ao Paraguai era a participações em eventos promovidos pela empresária Dalia López.


A defesa já havia tentando outras três oportunidades de implementar a prisão domiciliar ou a liberdade de ambos, mas todos os pedidos foram negados.

Últimas Notícias