Empresas de ônibus de Curitiba afirmam que estão sem recursos para continuar

De acordo com o Sindicato, redução de passageiros inviabiliza o sistema



O Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) divulgou um comunicado nesta sexta-feira que se não houver auxílio do poder público elas poderão parar: "O impacto econômico à esteira do coronavírus já afeta de maneira brutal o transporte coletivo de Curitiba, a ponto de inviabilizá-lo se não houver socorro financeiro dos poderes públicos.


As empresas de ônibus obtêm receita para operar por meio da cobrança da passagem. Com queda de passageiros na faixa de 75%, não há recursos para fazer frente a todos os custos do sistema, como pessoal, combustível, financiamentos, peças, impostos.


Essa dificuldade é nacional. A Frente Nacional de Prefeitos enviou ofício à Presidência da República em que alerta para o descompasso entre oferta e demanda e pede investimentos para evitar o colapso no serviço de transporte público. Não há dúvidas de que todos os negócios serão negativamente afetados. Mas é fundamental que o poder público priorize os serviços essenciais, caso do transporte coletivo", diz ainda o texto, lembrando que o sistema transporta outros trabalhadores de setores essenciais neste momento de pandemia e para a população chegar a farmácias e mercados.


É urgente, portanto, que os poderes públicos criem um plano de socorro ao setor a fim de impedir o colapso do serviço. As empresas de ônibus de Curitiba estão em contato permanente com a Prefeitura e Urbs para, em conjunto, achar o quanto antes uma solução para o problema".

26 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest