Saúde confirma cinco casos do novo coronavírus em Curitiba

Todos são importados e foram confirmados Lacen-PR. Além deles, há um caso confirmado em Cianorte, Noroeste do Estado

Crédito: Reuters

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) do Paraná confirmaram, nesta quinta-feira (12/3), os cinco primeiros casos de infecção humana pelo novo coronavírus na capital. Além deles, há um caso confirmado em Cianorte, noroeste do Paraná.


Todos os casos importados e foram confirmados oficialmente por exames realizados pelo Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR), considerado referência pelo Ministério da Saúde.


Dois deles são um homem de 54 anos e uma mulher de 25 anos, da mesma família, que estiveram em viagem recente para Espanha, Portugal e Holanda. Foram atendidos em um hospital da rede privada de Curitiba. O histórico destes dois pacientes já havia sido divulgado ontem, respectivamente, como caso provável e caso em investigação.


O homem tinha resultado positivo para o novo coronavírus em laboratório particular. E a mulher tinha laudo inconclusivo no mesmo laboratório, após um resultado positivo e outro negativo. Agora, os dois tiveram exames positivos pelo Lacen-PR.


Além deles, há outros dois homens com idades respectivas de 15 e 43 anos, de mesma família, com registro de retorno de viagem da Itália. Um deles foi atendido em um serviço de saúde privado e o outro em um serviço da rede pública de Curitiba.


O quinto caso é um homem de 58 anos que também esteve na Itália. Ele buscou por atendimento em um serviço de saúde da rede pública de Curitiba.


Além dos cinco casos da capital, há o da paciente de Cianorte que esteve no Oriente Médio.


Sintomas

As cinco pessoas apresentaram sintomas leves de infecções respiratórias – febre, tosse, coriza, dor de garganta e cansaço. Todos passam bem e seguem em isolamento domiciliar voluntário, sendo monitorados pela Secretaria Municipal da Saúde. A equipe de Epidemiologia da SMS segue monitorando ativamente outros possíveis contatos, por precaução.


“Todas as medidas sanitárias estão sendo realizadas”, afirma a secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak.


“Nossa rede municipal pública e a rede privada estão preparadas, aptas a identificar os casos suspeitos, notificar, confirmar e indicar isolamento aos pacientes”, explica Márcia.


A médica infectologista da SMS, Marion Burger, explica que o internamento só é indicado para casos com complicações, como infecção pulmonar. Mas alerta que é essencial manter o isolamento domiciliar, quando indicado.


Além dos casos confirmados, Curitiba investiga outros 25 casos suspeitos da doença em pessoas residentes no município – além de outros seis de residentes em outros municípios e estados, mas que foram atendidos em serviços de saúde na capital do estado. Todos apresentaram sintomas leves de infecções respiratórias – febre, tosse, coriza, dor de garganta, dor no corpo, dor de cabeça.


Após avaliação médica, coleta de amostras para exames e tratamento dos sintomas, os pacientes foram orientados a permanecer em isolamento domiciliar voluntário enquanto aguardam o resultado dos exames.


Os pacientes classificados como casos suspeitos são monitorados diariamente por telefone para acompanhamento da evolução do quadro de saúde.


Canal de informações

As informações sobre os novos casos de coronavírus têm como fonte oficial a SMS e a Sesa, uma vez que, considerando o caso de saúde pública e seguindo os protocolos do Ministério Público, apenas estas instituições são responsáveis por notificar e confirmar casos.


Os casos de coronavírus só são considerados oficialmente confirmados após testagem em laboratório de referência do Ministério da Saúde. No caso do Paraná, este laboratório é o Lacen-PR.


Brasil

Até esta quarta-feira (11/3), de acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil contava com 52 casos confirmados do novo coronavírus: Alagoas (1), Bahia (2), Minas Gerais (1), Espírito Santo (1), Rio de Janeiro (13), São Paulo (30), Rio Grande do Sul (2) e Distrito Federal (2).


Cidade preparada

De acordo com a secretária, o município se preparou para a chegada do novo coronavírus. No site da SMS, há um rol de documentos técnicos e orientativos para os profissionais de saúde, população, empresas e escolas e demais espaços públicos.


A população também pode esclarecer dúvidas pelo telefone 192 do Samu.


Ainda em janeiro, a SMS convocou Comitê Municipal de Resposta às Emergências em Saúde Pública para apresentar o plano de trabalho de Curitiba para a prevenção, controle e condução nos possíveis casos suspeitos do novo coronavírus.


Além do comitê, foram realizados treinamentos e capacitações com mais de 1 mil profissionais de saúde da rede pública e privada. Eles receberam informações sobre a nova doença, fluxos de atendimento, uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), entre outros.


Neste quarta-feira, a SMS lançou um Centro de Operações de Emergência (COE), com a participação das secretarias municipais do Governo, de Meio Ambiente, da Educação, Defesa Social e Trânsito, do Urbanismo, Esporte, Lazer e Juventude, da Comunicação Social, Instituto Municipal de Turismo, FAS, Urbs e Procuradoria-Geral do Município.


O que fazer em caso de suspeita

O diretor do Centro de Epidemiologia da SMS, Alcides Oliveira, orienta que as pessoas que retornam de viagem internacional em regiões onde há confirmação de transmissão local da doença fiquem alerta ao aparecimento de sintomas respiratórios nos próximos 14 dias após a volta. Se houver febre associada a outro sintoma respiratório, a orientação é procurar um serviço de saúde público ou privado.


“Em caso de suspeita, o paciente deve procurar a sua unidade de saúde ou uma UPA, na rede municipal de saúde; ou um pronto-atendimento, na rede particular. Os profissionais e serviços de Curitiba estão atualizados e preparados para esse atendimento”, orienta.


Segundo Oliveira, o fato de os sintomas da infecção pelo novo coronavírus parecem como os de uma gripe ou resfriado dificulta o diagnóstico, por isso, é importante informar o histórico de viagem já no início do atendimento.


O que fazer para se proteger?

- Lavar as mãos com água e sabonete líquido com frequência, ou utilizar álcool 70%, principalmente antes de consumir algum alimento, ou tocar na boca, nariz ou olhos.

- Utilizar lenço descartável para higiene nasal.

- Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir.

- Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas.

- Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença.

- Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis e após higienizar as mãos)


Fonte: Prefeitura de Curitiba.

Últimas Notícias