Licenças do veículo em dia evitam dores de cabeça ao motorista

Se o IPVA não estiver pago, o licenciamento anual não é emitido. Flagrado em blitze com débitos em atraso, motorista terá veículo removido

Crédito: Divulgação/ Setran

O pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) pode evitar problemas em uma fiscalização de trânsito de rotina.


Sem o IPVA quitado, não há emissão do licenciamento anual do veículo. E, por sua vez, o licenciamento em atraso pode acarretar multa e até a remoção do veículo em uma blitz. A medida administrativa está prevista no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).


Além do transtorno gerado pelo guinchamento do veículo, para recuperá-lo o responsável vai precisar pagar todos os débitos do veículo, o que inclui o IPVA, o licenciamento anual e multas de trânsito vinculadas, somados ao serviços de remoção e às diárias no pátio, cujos valores variam e podem ser conferidos no site da Setran.


Parcelamento dos débitos

O motorista que tiver débitos em multas para quitar com a autoridade de trânsito pode recorrer ao parcelamento, oferecido desde o ano passado, em uma parceria com o Departamento de Trânsito do Paraná (Detran-PR). Todas as informações estão disponíveis aqui.


Defesa de multa

Como parte da evolução nos serviços ao público, o atendimento online promoveu a agilidade nas respostas ao cidadão. Pela internet, o proprietário do veículo (pessoa física) pode indicar condutor para uma multa de trânsito, apresentar defesa de autuação, apresentar recurso à Junta Administrativa de Recursos de Infração (Jari) e ao Conselho Estadual de Trânsito (Cetran).


De acordo com a Setran, esta evolução busca o aperfeiçoamento dos serviços, que futuramente contemplará também o proprietário do veículo pessoa jurídica para que possa realizar os serviços citados via internet.


Hoje, 15% do total de atendimentos ao público já é feito de maneira on-line. Além disso, 80% das indicações on-line de condutor têm resposta imediata. Outros 20%, na média de 46 dias. No processo físico, o tempo médio de resposta era de 379 dias.


O tempo para resposta em um processo de defesa prévia também reduziu. Pelo sistema implantado, a resposta da defesa de autuação, no processo digital, está sendo dada em 16 dias. No processo físico, a espera era bem maior: uma média de 241 dias em 2017 e de 106 dias em 2018. No ano passado, o tempo era de 58 dias.


O que diz o CTB:

Artigo 230, inciso V


Conduzir o veículo que não esteja registrado e devidamente licenciado: Multa (R$ 293,47 e 7 pontos). Medida administrativa: remoção do veículo.


Artigo 130


Todo veículo automotor, elétrico, articulado, reboque ou semi-reboque, para transitar na via, deverá ser licenciado anualmente pelo órgão executivo de trânsito do Estado, ou do Distrito Federal, onde estiver registrado o veículo.


Artigo 131


O Certificado de Licenciamento Anual será expedido ao veículo licenciado, vinculado ao Certificado de Registro, no modelo e especificações estabelecidos pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran).


2º O veículo somente será considerado licenciado estando quitados os débitos relativos a tributos, encargos e multas de trânsito e ambientais, vinculados ao veículo, independentemente da responsabilidade pelas infrações cometidas.


Fonte: Prefeitura de Curitiba.

25 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest