Cruzeiro marítimo permite conhecer mais de um destino durante a viagem

O porto de Balneário Camboriú é o primeiro passo de um projeto que pretende construir quinze instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil.

Dados divulgados pela CLIA Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos) demonstram que, ao longo dos anos, o setor de cruzeiros continua crescendo no mundo, impulsionado principalmente pelo aumento da quantidade e diversificação de roteiros.


Em 10 anos, a procura por viagens a bordo de um navio aumentou cerca de 60%. “Porém, apesar de uma população de quase 210 milhões de habitantes, o Brasil responde por apenas 0,25% do número de cruzeiristas no mundo”, relata Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News & Negócios (www.revistaecotour.news).


Para acompanhar esse rápido crescimento, o Brasil tomou medidas significativas para receber navios em novos portos, aumentando a capacidade e melhorando a experiência geral dos viajantes.


No Brasil, a temporada 2019/2020 de cruzeiros receberá oito navios, um a mais do que a temporada passada, trazendo 531.121 leitos que serão divididos por 144 roteiros e 575 escalas.


O Brasil terá seu primeiro porto com terminal de passageiros exclusivo para cruzeiristas. “O porto de Balneário Camboriú é o primeiro passo de um projeto que pretende construir quinze instalações voltadas para o turismo marítimo em todo o Brasil”, informa Vininha F. Carvalho.


Em setembro, o Ministério da Infraestrutura assinou o contrato de adesão em Terminais de Uso Privado (UTPs) que permite a construção do porto de Balneário Camboriú. A expectativa é de atrair mais empresas do setor de cruzeiros, mais navios para a costa brasileira e aumentar significativamente o número de turistas e o impacto econômico do setor.


Os mares brasileiros têm atraído cada vez mais turistas interessados em aproveitar o conforto de cruzeiros que oferecem aos seus passageiros uma intensa programação. Para cruzeiros no Brasil, é necessário apresentar RG com no máximo 10 anos de emissão ou CNH, e certidão de nascimento para crianças de até 12 anos, que se não estiverem acompanhadas de um dos pais, necessitam de uma autorização por escrito com firma reconhecida, e para o caso de estarem com um representante legal, é necessária autorização judicial específica.


Em caso de um dos pais ser falecido, é preciso apresentar certidão de óbito original.


“Viajar de navio é uma forma de conhecer diferentes lugares gastando menos. O valor da viagem geralmente costuma ser menor que um pacote com hospedagem e transporte para a maioria dos destinos oferecidos pelas operadoras de turismo, vale a pena conferir”, conclui Vininha F. Carvalho.


https://www.revistaecotour.news

Fonte: dino.com.br/

28 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest