O Natal de Luz além dos espetáculos de canto, dança e teatro

Cerca de 200 pessoas foram envolvidas na montagem da estrutura de cada espetáculo

Foto: Hully Paiva


Cinco toneladas de equipamentos, dez quilômetros de cabos de som e luz e cerca de 200 pessoas envolvidas na montagem da estrutura de cada espetáculo, mais 70 atores, bailarinos e músicos. Estes são alguns números dos bastidores das 160 atrações artísticas do Natal de Curitiba - Luz dos Pinhais, que está na sua última semana.


“O Natal deste ano é um grande desafio porque está sendo três vezes maior que o anterior, não só em termos de espaços para receber as atrações como também do número de espetáculos apresentados”, conta o coordenador de Produção e Eventos da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Jaciel Teixeira - o regente da orquestra de operários que está atrás da beleza dos espetáculos vistos por moradores da cidade e turistas.


Grande espetáculo, estrutura à altura

Para garantir a segurança e a beleza dos espetáculos, a equipe de produção da FCC está integralmente dedicada à instalação de palcos, iluminação e sistema de som para as atrações em 24 locais diferentes, espalhados pela cidade – Ruas da Cidadania, Ruínas de São Francisco, Largo da Ordem, Memorial de Curitiba, Catedral Metropolitana, Câmara Municipal, Ópera de Arame, Centro Cívico, Passeio Público, além do Jardim Botânico, e parques Tanguá, Tingui, Bosque do Papa, Bacacheri, Náutico e Lago Azul.


Além da equipe de produção, fazem parte do staff seguranças particulares que agem 24 horas para zelar pela integridade das estruturas instaladas e 100 bombeiros civis para prestar atendimento à saúde de emergência durante os espetáculos.


De todas as atrações, conta Jaciel Teixeira, a do Passeio Público foi uma das mais desafiadoras. Sua equipe precisou se adaptar para respeitar o bem-estar dos animais que vivem no local. A montagem mais complexa foi a do “Natal Solidário”, no Centro Cívico, por causa da circulação de carros e pessoas.


A organização dos espetáculos precisou de cinco dias para completar a montagem da estrutura, alterando o trânsito de veículos na região. Em compensação, para facilitar a retomada da rotina no local, a desmontagem foi iniciada e concluída em menos de 24 horas.


Arte do coletivo

Depois de montada toda a estrutura, entram em cena os artistas, sob a direção geral de Edson Bueno. Eles também contam com uma equipe própria de apoio. Mais de 20 técnicos de iluminação, montadores e operadores de som dão suporte às encenações. Beto Bruel, um mestre da iluminação teatral, está frente desta equipe.


Os figurinos vêm sendo preparados desde o mês de agosto e estão a cargo do figurinista Áldice Lopes, também premiadíssimo em sua categoria. Lopes conta que parte das roupas utilizadas nos espetáculos fazem parte do seu acervo, algumas foram locados de lojas especializadas e outras foram confeccionadas especialmente para as encenações.


É o caso dos figurinos utilizados nos espetáculos do Parque Tanguá e do Passeio Público, que estreou este ano. Para tanto, Áldice Lopes contou com o trabalho de dez costureiras e bordadeiras.


“Vejam quantos artistas tiveram trabalho neste fim de ano”, observa o figurinista.


“O Natal emprega inúmeros profissionais em suas respectivas áreas. E tudo isso acontece porque a arte cênica é a arte da coletividade. Ninguém faz nada sozinho”, diz Áldice Lopes.


Fonte: Prefeitura de Curitiba.

22 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest