banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

Urbs alerta sobre "fake news" do cadastramento e fará blitz

O cadastramento dos motoristas de aplicativo não encerra em 21/12 e continua permanentemente. Nessa data começam blitzes orientativas por parte da Urbs e da Setran para reforçar a necessidade de se cadastrar


Foto: Levy Ferreira


A Urbanização de Curitiba (Urbs) alerta os motoristas de aplicativos, como Uber, 99 e Cabify, sobre notícias falsas - "fake news" - envolvendo o cadastramento. Ao contrário do que circulam em alguns grupos de motoristas, o cadastramento não terá prazo final em 21/12, por ser um ato contínuo e permanente. A partir de 21/12 começam as blitz orientativas por parte da Urbs e da Setran para esclarecer os motoristas da necessidade do cadastramento.


Não é intuito da Urbs punir, multar ou apreender veículos. A ideia é possibilitar que todos os profissionais estejam cadastrados e devidamente regularizados para maior credibilidade dos motoristas legalizados que prestam o serviço. A fiscalização deve começar no fim de janeiro.


O cadastramento dos aplicativos começou em 21 de outubro. De acordo com o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maria Neto, o cadastro é importante para valorização da categoria, segurança dos passageiros, gestão do modal no município, inibição de clandestinos e conhecimento da realidade acerca da quantidade de motoristas que prestam o serviço. A estimativa é que existam 12 mil motoristas de aplicativos de transporte em Curitiba.


A medida obedece ao decreto, assinado pelo prefeito Rafael Greca em agosto, que amplia a regulamentação do serviço na cidade. O cadastro deve ser feito no site na Urbs.


Ao todo 9.964 motoristas de aplicativos se inscreveram até agora no cadastro. Apesar disso, apenas 1.352 completaram os dados do cadastramento. Inconsistência de dados, erros de preenchimento e ausência de certidões negativas de antecedentes criminais são alguns dos problemas detectados. O motorista deve preencher dados pessoais, como o número da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) com anotação do exercício de atividade remunerada (Ear), endereço e dados do veículo.


De acordo com Alessandro César de Souza Alves, Gestor da Área de Táxi e Transporte Comercial da Urbs, também será possível, com o cadastramento, gerenciar informações ao cliente final, como reclamações, elogios e sugestões.


Regulamentação

Em novembro do ano passado, a Prefeitura publicou a atualização da regulamentação do setor, com melhorias para motoristas, usuários e condições de tráfego nas ruas de Curitiba.


O emplacamento do veículo, antes restrito a Curitiba, agora pode ser feito em qualquer cidade do país. O tempo de fabricação dos veículos autorizados a trabalhar no transporte privado de passageiros também foi ampliado. Antes limitado a cinco anos, agora esse prazo máximo é de sete anos.


A idade veicular de sete anos está em consonância com a média adotada nas principais capitais brasileiras em que o serviço opera com satisfatórios indicadores de qualidade. Para veículos elétricos ou adaptados para transporte de pessoas com deficiência o prazo permanece de até oito anos



Fonte: Prefeitura de Curitiba.

4 de dezembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest