Entidades e políticos repudiam a fala de Eduardo Bolsonaro

Filho do presidente "ameaçou" opositores com um novo AI5

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM), emitiu nota sobre a fala do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL). Alcolumbre disse que a democracia “é intocável sob o ponto de vista civilizatório”. “Não há espaço para que se fale em retrocesso autoritário”, disse.


O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), também em nota, lembrou que o parlamentar, ao tomar posse, jurou respeitar a Constituição de 1988. “A apologia reiterada a instrumentos da ditadura é passível de punição pelas ferramentas que detêm as instituições democráticas brasileiras. Ninguém está imune a isso. O Brasil jamais regressará aos anos de chumbo.”


A Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) defendeu que “a Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, a casa do povo, tome urgentemente as providências cabíveis”. O Diretório Nacional do PSL disse que repudia “qualquer manifestação antidemocrática que, de alguma forma, considere a reedição de atos autoritários”. Já a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) destacou que a “conviver com a divergência de ideias e ações de forma civilizada é pressuposto básico de qualquer democracia e não justifica saudosismos autoritários”.

Últimas Notícias