Assembleia vota redação final do fim da licença-prêmio

A aprovação foi marcada por protestos dos sindicatos de servidores



O Projeto de Lei que institui a Licença Capacitação para servidores públicos efetivos civis e militares será votado em redação final na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na sessão plenária de hoje. A matéria cria também o Programa de Fruição e Indenização de licenças especiais já adquiridas e não prescritas. Em relação às licenças capacitação, segundo o projeto, os servidores civis e militares estáveis em exercício poderão, a cada quinquênio de efetivo exercício, afastar-se do exercício do cargo efetivo, por até três meses, para fins de Licença Capacitação, por interesse da Administração.


Os cursos de capacitação a serem realizados pelos servidores no período de afastamento deverão ter, no mínimo, 90 horas de carga horária presencial. Todo o processo, de acordo com a proposta, deverá ser comprovado com a declaração de matrícula e o certificado de conclusão.


Já sobre o Programa de Fruição e Indenização de licenças especiais, determina que fruição da licença especial cujo direito estiver adquirido deverá ocorrer dentro do período de dez anos, contados da mesma data. Ainda segundo a matéria, o gozo da licença especial está condicionado à conveniência da Administração Pública. Com a aprovação da proposta, quem ingressar no Executivo não terá mais direito a licença especial. A lei passará a valer 90 dias após a publicação em Diário Oficial.

31 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest