Governador do Rio diz que vai pedir punição para países vizinhos

Witzel culpou tráfico de armas pela violência no Rio



O governador do RJ, Wilson Witzel, disse neste domingo (29) que vai recorrer à ONU para combater a violência no RJ, que chamou de "genocídio". Em fala a jornalistas na Cidade do Rock, ele afirmou que vai pedir sanções aos países vizinhos que vendem armas ao Brasil, como Paraguai, Bolívia e Colômbia.


"Todas essas ações. Trabalhando para tirar as armas...trabalhando agora junto às Nações Unidas...levar realmente a causa do genocídio do Rio de Janeiro, que não é o governador", disse Witzel.


Witzel afirmou que a fronteira deve ser fechada e que a ONU deveria impor sanções aos países por venderem armas ao Brasil.


"O próprio Conselho de Segurança da ONU pode tomar essa decisão: retaliar Paraguai Bolívia e a Colômbia no que diz respeito às armas em si. Ou seja países que vendem armas para esses países têm que ser proibidos de fazê-lo sob pena de continuar esse massacre essa situação sangrenta que nós vivemos hoje nas comunidades do Rio de Janeiro. E fechar a fronteira."


O governador disse que já está em contato para levar o pleito à ONU. "Eu já pedi para que nós entremos em contato agora nessa semana com o Conselho de Segurança da ONU para que eu possa expor o que está acontecendo no Rio de Janeiro e pedir providências junto a esses países", afirmou.

Últimas Notícias