Justiça bloqueia R$ 20 milhões de Beto Richa

Ex-governador é acusado de interferir em licitação da PR-323



A Justiça Federal do Paraná acolheu pedido da força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná (MPF) e determinou o bloqueio de bens e ativos financeiros no valor de até R$ 20 milhões do ex-governador Beto Richa (PSDB). Outras seis pessoas investigadas na operação Piloto, que apura suspeitas de fraude em uma licitação para a duplicação da PR-323, no Noroeste do Estado também tiveram parte de seus bens bloqueados: o irmão do ex-governador, e ex-secretário de Estado da Infraestrutura, José 'Pepe' Richa Filho; o primo do tucano, Luiz Abi Antoun; o contador da família, Dirceu Pupo; Rafael Gluck e José Maria Ribas Mueller.


A operação Piloto foi deflagrada em setembro de 2018 a partir do conteúdo de depoimentos de colaboradores ligados ao grupo Odebrecht, que revelaram esquema de lavagem de dinheiro e pagamento de propina visando o favorecimento do consórcio liderado pela Odebrecht na licitação de concessão da PR-323. Esses pagamentos teriam sido operacionalizados pelo Setor de Operações Estruturadas da empresa em favor do codinome "Piloto", identificado como sendo o ex-governador.

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

27 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale