Milena Titoneli fecha campanha histórica do taekwondo

Brasil conquistou sete medalhas no Pan de Lima



O Brasil fechou a sua melhor campanha na história do taekwondo em Jogos Pan-Americanos com a medalha de ouro de Milena Titoneli na categoria até 67 Kg. De quebra, a lutadora de 20 anos foi a primeira mulher do país a ser campeã da modalidade em Jogos Pan-Americanos. Nesta segunda-feira, os brasileiros conquistaram quatro medalhas. Além do título de Milena, Ícaro Martins (-80 Kg) perdeu na final e ficou com a prata, e Maicon Andrade (+80 Kg) e Raiany Fidelis (+67Kg) levaram o bronze. Assim, o Brasil termina com sete medalhas no taekwondo em Lima: dois ouros, duas pratas e três bronzes.


“Eu nem consigo parar de chorar. Eu já pensava muito nisso, mas quando acontece, é inexplicável. Foi uma luta muito difícil (a final) porque era contra uma das favoritas. Mas foi muito gratificante. É indescritível para mim. Eu sempre sonhei com isso e consegui realizar. Graças aos meus treinadores que estão ali diariamente comigo, pegando cada adversário e fazer um treino cada vez melhor em cima delas para eu encaixar meu jogo no delas. É algo que eu já esperava, mas a ficha ainda não caiu. Mas ainda não acabaram as minhas metas. Quero chegar nas Olimpíadas e repetir esse feito, se eu for escolhida para representar o país. Está escrito num papel no meu quarto em cima da cama e eu leio todo dia: "Eu vou para as Olimpíadas e vou ser o ouro”, comemorou Milena, emocionada, após o título.


Bronze no Mundial em maio, Milena chegou aos Jogos Pan-Americanos como uma das favoritas. Mas a brasileira não teve vida fácil. Logo na primeira luta, venceu por apenas um ponto a colombiana Katherine Dumar: 9 a 8. Na semifinal, Milena conseguiu ter mais controle sobre a luta e derrotou a cubana Arlettys Acosta por 10 a 5.


Na final, a brasileira enfrentou a americana Paige McPherson. A luta começou muito estudada e com poucos golpes certeiros. O primeiro ponto da final veio apenas no fim do segundo round, que acabou empatado em 1 a 1. Nos últimos dois minutos, a americana começou melhor e foi para cima, abrindo vantagem. Mas a brasileira reagiu e empatou a luta em 6 a 6. O técnico brasileiro pediu a revisão do VAR, o que colocou Milena em vantagem após punir a colombiana. Atrás no placar, McPherson foi para cima e conseguiu acertar um golpe, mas o contra-ataque da brasileira também entrou, garantindo a medalha de ouro para Milena: 9 a 8.


Ícaro Martins abriu a campanha com uma luta dura contra o porto-riquenho Elvis Barbosa. E o brasileiro levou a melhor numa luta agressiva: 21 a 17. Nas semifinais, mais uma luta bastante disputada. Mas Ícaro novamente levou a melhor, dessa vez, contra o dominicano Moises Hernandes: 8 a 7. Na disputa pelo ouro, Miguel Angel e Ícaro fizeram um primeiro round equilibrado. Mas na reta final do segundo round e início do terceiro, o colombiano abriu vantagem e chegou a ter 15 a 7 a seu favor no placar. O brasileiro foi para cima para tentar encostar no placar, mas os contra-golpes de Miguel Angel também encaixam. No final, vitória do colombiano e prata para Ícaro Martins.

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

28 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale