banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

PF diz que preservará o conteúdo de mensagens apreendidos com hackers

Moro defende que mensagens sejam destruídas



A Polícia Federal informou na noite desta quinta-feira (25) que preservará o "conteúdo de quaisquer mensagens que venham a ser localizadas no material" apreendido na Operação Spoofing. Caberá à Justiça definir o destino do material, disse a PF.


O ministro João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), disse mais cedo, por meio de nota, que o ministro Sérgio Moro (Justiça e Segurança Pública) havia dito, em uma ligação, que as mensagens seriam descartadas "para não devassar a intimidade de ninguém". Noronha foi um dos alvos da invasão. À noite, a assessoria do ministro Sérgio Moro afirmou que o conteúdo das mensagens está preservado, até por questões de privacidade.


"A Polícia Federal esclarece que as investigações que culminaram com a deflagração da Operação Spoofing não têm como objeto a análise das mensagens supostamente subtraídas de celulares invadidos. O conteúdo de quaisquer mensagens que venham a ser localizadas no material apreendido será preservado, pois faz parte de diálogos privados, obtidos por meio ilegal. Caberá à Justiça, em momento oportuno, definir o destino do material, sendo a destruição uma das opções."


A Polícia Federal identificou os aparelhos dos presidentes da República, Jair Bolsonaro; da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ); do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP); do Superior Tribunal de Justiça, ministro João Otávio de Noronha; e da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, dentre os celulares de autoridades alvos de invasão de hackers. Ministros do STF também foram alvos.

2 de dezembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Contato

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: 41.8713-4418

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest