Funcionários públicos dão trégua até 10 de agosto

Categoria decidiu interromper a greve



Professores e funcionários de escolas públicas estaduais decidiram, neste sábado, em assembleia da APP-Sindicato em frente ao Palácio Iguaçu, suspender a greve iniciada no último dia 25, em protesto pelo reajuste salarial de 4,94%, referente à inflação de abril de 2018 a maio de 2018. A decisão foi aprovada depois que o governo do Estado formalizou nova proposta de reajuste de 5,0%, parcelado até 2022, com a primeira parcela, de 2%, a ser paga em janeiro de 2020.


A proposta não agradou a categoria, porém a avaliação da maioria dos presentes foi de suspensão do movimento e continuidade das mobilizações para que as medidas sejam efetivadas e ainda solicitar ao governo avanço em alguns pontos. “A maioria compreendeu que a greve foi um movimento vitorioso pela organização da categoria e a unidade dos servidores”, avaliou Hermes Leão, presidente da APP-Sindicato. Ele avalia que a proposta é ainda insuficiente, principalmente sobre o reajuste dos servidores. “Discordamos dos números do governo e vamos continuar acompanhando a evolução da receita que já apresenta crescimento”, afirmou.


Os servidores retornam as atividades a partir de segunda-feira (14) e irão debater com a secretaria da Educação um calendário de reposição dos dias parados. O governo informou que não haverá desconto nos salários.


Uma nova assembleia ficou definida para o próximo dia 10, logo após o retorno do recesso da Assembleia Legislativa. O objetivo será acompanhar o projeto sobre o reajuste e o andamento de outros pontos da proposta. Caso eles não sejam efetivados, a categoria pode aprovar o retorno à greve, diz a APP.

27 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest