A cada ano mais pessoas aderem à utilização de planos de seguro viagem internacional

Neste primeiro quadrimestre as contratações cresceram 19,24% em relação ao mesmo período em 2018

Muitas pessoas fazem esforços financeiros e extensos planejamentos para desfrutar das férias dos sonhos e muitos se enveredam por viagens internacionais. Grande parte destes viajantes acaba se perguntando se deve realmente incluir um plano de seguro de viagem em sua lista de providencias para a viagem. Este pensamento ocorre porque muitas pessoas ainda enxergam este item como sendo uma despesa extra. Existe também quem entenda que o pior a ocorrer é apenas a perda da bagagem. Mas os dados mostram que essa é uma visão deturpada.


A verdade é que qualquer coisa pode ocorrer durante uma viagem internacional e a contratação de um seguro viagem tem se tornado um acessório obrigatório. Mesmo ao ingressar em países que não tratam deste tema como uma exigência turística, portar um seguro viagem é hoje uma questão de previdência e prudência.


A maioria das apólices de seguro de viagem são elaboradas para atender uma variedade de necessidades durante a viagem, mas, os viajantes devem atentar-se às coberturas da apólice, incluindo quaisquer franquias, carências e limitações para que não tenham surpresas ou falsas expectativas. Os planos comercializados no Brasil são regulamentados pela SUSEP, o que garante um padrão mínimo na composição das coberturas e nas regras para atendimento, indenizações e reembolsos.


Os viajantes podem encontrar na internet planos que abrangem praticamente qualquer tipo de viagem, como viagem à estudos, mochilão, cruzeiro, lazer, negócios, família, esportes e outros. As coberturas que garantirão a viagem dependem do plano escolhido pelo viajante. É importante lembrar que o contratante é coberto pelo que está declarado em seu bilhete de seguro. Ao obter um plano, o viajante recebe um bilhete de seguro viagem com todo o detalhamento dos benefícios, além das informações de acesso em situações de urgência e emergência.


A maioria das apólices cobrem cancelamento de viagem, perda ou atraso de bagagem, e por exigência da regulamentação vigente possuem cobertura médica e hospitalar, odontológica, traslado sanitário, traslado funerário, invalidez e morte acidental.


A média mundial de investimento numa apólice de seguro viagem é de 5% a 7% do custo total da viagem, mas os preços dos planos variam bastante e podem levar em consideração seu histórico médico, período da viagem, destino e idade dos passageiros.


Conforme divulgado recentemente pela FenaPrevi, a comercialização de planos de seguro viagem teve alta no período de janeiro a abril de 2019 comparados ao mesmo período do ano passado. As contratações movimentaram R$ 187,59 milhões e a expansão foi de 19,24% superior em relação aos R$ 157,32 milhões registrados de janeiro a abril de 2018.


De acordo com Ricardo Mendonça, diretor geral da Next Seguro Viagem, agência paulistana dedicada exclusivamente à comercialização de Seguro Viagem, os viajantes estão cada vez mais atentos à importância de uma boa apólice de seguro viagem. “Temos observado forte crescimento na busca e contratação dos planos, inclusive por pessoas que chegaram a viajar em outras ocasiões sem adquirir uma apólice de seguro viagem. Isso significa que o viajante está mais consciente e atento aos riscos e à exposição quando embarca numa viagem sem a devida proteção. Com um plano de seguro viagem devidamente contratado, o viajante tem a segurança de uma viagem com suporte e direcionamento em situações de urgência e emergência”.

25 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest