Beto Richa e outros seis viram réus da Operação Piloto

Ex-governador é acusado de receber R$ 3 milhões em propina


Beto Richa e outros seis viram réus da Operação Piloto

O juiz federal Paulo Sergio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba, aceitou ontem a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e tornou réus o ex-governador do Paraná Beto Richa e outras seis pessoas, entre elas, o irmão de Richa, o ex-secretário de infra-estrutura do estado Pepe Richa. A denúncia é referente à licitação para parceria público privada para exploração e duplicação da PR-323, que liga Maringá, no norte do estado, a Francisco Alves, no noroeste.


Os procuradores da Lava Jato afirmam que Beto Richa recebeu propina de uma das empresas que formaram o consórcio que venceu a licitação, a empresa Tucuman, de mais de R$ 3 milhões, por meio da entrega de cotas de um imóvel comercial em Curitiba. Richa vai responder pelos crimes de fraude a licitação, corrupção e lavagem de dinheiro.


Também se tornaram réus no processo o contador da família Richa, Dirceu Pupo Ferreira, o ex-secretário de Infraestrutura e Logística Ezequias Moreira Rodrigues, os executivos da Tucumann Engenharia Rafael Gluck e José Maria Ribas Mueller, e o ex-secretário especial de Cerimonial e Relações Exteriores Luiz Abi Antoun.

Últimas Notícias