Edmond Couchot explora a arte como objeto natural da criação humana

Obra traz ao leitor não especializado hipóteses, teorias e experimentos dos últimos sessenta anos no campo investigativo da cognição.

A partir do surgimento das chamadas "ciências cognitivas", na segunda metade do século XX, a mente e o pensamento humano foram iluminados sob a perspectiva de objetos naturais, de estrutura definida e, portanto, seguindo regras identificáveis alinhadas com outros fenômenos naturais. E dessa espécie de naturalização da mente a arte não escapou, como nos mostra Edmond Couchot, em "A natureza da arte: o que as ciências cognitivas revelam sobre o prazer estético", lançamento da Editora Unesp.


"Até então submissas à filosofia, as teorias da arte e da estética reagiram, por sua vez, aos conhecimentos trazidos pelas ciências cognitivas e passaram a formular as seguintes questões: pode-se naturalizar a arte, ou seja, tratar a arte como um objeto biológico, de origem não transcendental?", questiona-se o autor. "Os pesquisadores formularam hipóteses e propuseram experimentações que forneceram alguns elementos para responder a essas questões. Mesmo provisórias, suas conclusões propiciaram um esclarecimento inovador sobre as teorias da arte e da estética."


Ao longo dos oito capítulos, Couchot mergulha em mais de sessenta anos de pesquisas que investigam os processos neurológicos e psicobiológicos que levam à criação artística e ao prazer do amante da arte ao observá-la, por exemplo. E é em meio a essa investigação que vêm à luz as relações entre o biológico e o cultural, a emoção, o prazer estético e a razão, o papel da arte na comunicação intersubjetiva e as origens animais da cultura humana.


Voltada não só aos especialistas, leitores interessados no processo de criação artístico encontrarão uma ótima fonte para beber. "Não é necessário esconder que esse objetivo é de extrema complexidade", adverte Couchot. "Até então extremamente afastadas umas das outras, as disciplinas envolvidas são inúmeras, e seus cruzamentos inesperados produzem relações não habituais que as põem em uma situação que ultrapassa a simples interdisciplinaridade."


Sobre o autor - Edmond Couchot é professor emérito de diversas universidades francesas e durante vinte anos foi chefe do Departamento de Artes e Tecnologias da Imagem da Universidade Paris 8. Seu campo de pesquisa e ensino é o das interações entre arte e ciência.


Título: "A natureza da arte: o que as ciências cognitivas revelam sobre o prazer estético " Autor: Edmond Couchot Tradução: Edgard de Assis Carvalho Número de páginas: 486 Formato: 14 x 21 cm Preço: R$ 84,00 ISBN: 978-85-393-0777-7

Veja mais clicando aqui

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

26 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale