Mais de 62 milhões de brasileiros estão com o nome sujo

Inadimplência teve alta de mais de 4% em 2018



O número de pessoas com dívidas em atraso subiu 4,41% em 2018 e atingiu 62,6 milhões, segundo levantamento divulgado nesta terça-feira (15) Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Isso significa que, no encerramento do ano passado, cerca de 40% da população adulta estava com o nome sujo, segundo a pesquisa.

Entre os consumidores que terminaram o ano com o nome sujo, mais da metade (51%) tinham dívidas com bancos. No entanto, o setor que teve o maior crescimento no número de dívidas atrasadas na comparação com 2017 foi o de água e luz, com 14% de aumento no número de consumidores que deixaram de pagar alguma conta no prazo.

Segundo o SPC e a CNDL, o aumento da inadimplência é reflexo do processo ainda lento de recuperação da economia, mesmo com a redução do desemprego. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desemprego caiu para 11,6% em novembro de 2018, mas a queda, além de ser lenta, vem sendo puxada pelo aumento do número de trabalhadores informais ou por conta própria.

Outro fator apontado pelas entidades é o aumento da concessão de crédito em 2018. “Ampliando-se a base de crédito, amplia-se também, em termos absolutos, o número de inadimplentes”, disseram em relatório.

28 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest