Edição comemorativa da Bienal de Curitiba no MON até março de 2019

O Museu Oscar Niemeyer (MON), em comemoração aos 25 anos da Bienal de Curitiba, realiza uma edição especial, até o dia 10 de março de 2019.

Veja mais no site http://bienaldecuritiba.com.br/2018/

Referência no calendário de arte contemporânea, as exposições apresentadas este ano são retrospectivas de artistas de destaque que já passaram por suas edições anteriores. Serão ocupados vários espaços, entre eles a sala 9, os andares da Torre do Olho e realizando diversas intervenções dentro e fora do MON. Outros locais da cidade também recebem as mostras da Bienal 25 anos.


Confira a programação completa no MON:


Exposição “Leonardo Kossoy”


Com curadoria de Tereza de Arruda, a exposição do artista Leonardo Kossoy apresenta quatro segmentos de seu trabalho recente. São fotografias dos projetos “Waterscapes”, de 2007, e “Only You”, de 2014, além das séries “Inventário do Mundo” e “Caindo no inferno da imagem”. As suas obras conquistaram grande reconhecimento e destaque da crítica especializada nacional e internacional. A instalação estará na Sala 09 do MON.


Exposição “Acordos Tácitos”


Com curadoria de Tício Escobar e Brugnera, a exposição reúne obras de diferentes artistas em espaços diferentes do MON. Os artistas integrantes da mostra são Meyer Filho, Luiz Enrique Schwanke, Ricardo Migliorisi, Edilson Viriato, Livio Abramo (Sala Térreo – Torre Olho); Juliana Stein, Hugo Aveta, Biaggi, Marco Bolognesi, Lucinda Simas Magalhães (Sala 1º Andar Torre Olho); Efigênia Rolim, Raúl Frare e Guita Soifer (Subsolo Torre Olho).


Performance “Oito Visões”, de H-AL e Curitiba Cia de Dança


Com a curadoria de Tício Escobar e Brugnera, a performance vai ser apresentada na abertura da Bienal Curitiba 2018, a partir das 19h, no Espaço Araucária. Criada por H-AL, dupla composta pelos artistas Alexandre Linhares e Thifany F, a performance une dança contemporânea, arte têxtil e audiovisual. A apresentação também conta com a participação do grupo Curitiba Cia de Dança. Os bailarinos participantes são Tatiana Araujo, Clarissa Moura, Frederick Nicolás, Leonardo Silveira, Danilo Silvestre, Mario Gilberto, David Lopes, Rubens Vidal , com coreografia de Claudio Fontan, assistência de Carol Kleina e Mariana Midori, música de César Munhoz e luz por Nádia Luciani e Rafael Araujo.


Exposição “Dragão Floresta Abundante - A Aventura de Christus Nóbrega na China”


A mostra sobre a cultura chinesa é baseada na residência de Christus Nóbrega em Pequim, China. Apresenta uma transição entre fotografia, foto-objeto, vídeo e arte computacional. A curadora da exposição é a historiadora da arte Renata Azambuja. A exposição será apresentada na Sala 09 do museu.


Fábrica de Pipas e Fábrica de Nuvens


As duas exposições integram a exposição “Dragão Floresta Abundante”, de Christus Nóbrega. Na instalação “Fábrica de Pipas”, o público poderá se sentir como se fosse um trabalhador de uma fábrica de pipas da China, ao entrar em uma fábrica, vestir uniformes e produzir pipas. A cada 11 pipas produzidas, o visitante pode levar uma para casa, como “pagamento”. Os trabalhos serão expostos na Sala 09 do MON.


Na “Fábrica de Nuvens” o visitante pode conferir uma instalação com andaimes de 6 metros de altura, em que são impressas em painéis solares imagens de nuvens. São fotografias que foram tiradas da janela do cômodo em que o artista morava em Pequim, na China. Encarando a branca chaminé de uma fábrica, a chaminé e sua fumaça tornam-se, então, Fábrica de Nuvens. A instalação estará na área externa do museu.


“Rayuelarte”, de Marta Minujín e Patrícia Pellegrini


O espaço foi feito para homenagear Julio Cortázar, autor do livro de romance "Jogo da Amarelinha" e Marta Minujín conceituada artista na Argentina. A intervenção sugere que os visitantes joguem “jogos da amarelinha”. Além disso, a Bienal lançará em 2018 um livro de autoria de Patrícia Pellegrini sobre a obra de Marta Minujín, voltada ao público infanto-juvenil. A intervenção estará localizada no vão-livre, próximo ao café do museu.


“Seranum”, de Eliane Prolik


A obra de Eliane Prolik apresenta suportes de soro e luminárias circulares em justaposição, que atravessam o espaço do museu. O curador da obra é o espanhol Adolfo Montejo Navas. O público poderá conferir a obra no vão-livre do museu.


Serviço


Bienal de Curitiba 2018 | 25 Anos no MON

Data: de 18 de outubro de 2018 a 10 de março de 2019

Local: Museu Oscar Niemeyer – Rua Marechal Hermes, 999, Centro Cívico

Horário de Funcionamento: Terça à domingo, das 10h às 18h


Ingressos: R$ 20,00 (inteira), R$ 10,00 (meia-entrada para professores e estudantes com identificação; doadores de sangue; pessoas com deficiência; titulares da ID Jovem; portadores de câncer com documento comprovatório).

Venda: Bilheteria do MON, de terça a domingo

Online: site.ingressorapido.com.br/mon

Quartas gratuitas, das 10h às 18h – acesso até 17h30

Primeiras quartas do mês, das 10h às 20h - acesso até 19h30

www.museuoscarniemeyer.org.br

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

23 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale