Atendente do SAMU é afastada após negativa de atendimento

Homem ligou para socorrer pessoa ferida na rua


Atendente do SAMU é afastada após negativa de atendimento

Uma funcionária do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Curitiba foi afastada pela prefeitura por negar atendimento a um homem encontrado na rua com um ferimento na cabeça, durante o sábado (5).

O empresário Valdecir Mikuska encontrou o homem e ligou para conseguir socorro. A atendente disse que seria necessária a autorização do ferido para que fosse enviada uma ambulância até a Avenida Santa Bernadete, entre os bairros Fanny e Lindóia.

Áudio: Atendente: Samu, bom dia!

Valdecir: Bom dia!

Atendente: Quem está falando?

Valdecir: É o Valdecir.

Atendente: O que está acontecendo?

Valdecir: Tem um rapaz caído aqui no canteiro da Avenida Santa Bernadete, com a cabeça sangrando.

Atendente: O senhor conhece ele?

Valdecir: Não

Atendente: O senhor perguntou se ele quer ajuda?

Valdecir: Não, não perguntei.

Atendente: Tá, mas tem que perguntar senhor, porque às vezes ele não quer.

Valdecir: Mas deixa morrer ali?

Atendente: Se ele quiser sim.

Valdecir: Mas que tipo né.

Atendente: Tem que perguntar para ele, porque a gente não pode pegar ele a força. Se chegar aí e ele não quiser, a ambulância faz o quê?

Valdecir: Mas e se morre o caboclo ali?

Atendente: Senhor, se ele não quiser e se quiser morrer aí o problema é dele. O senhor tem que perguntar se ele quer atendimento.

Valdecir: Mas se ele nem responde por ele. Vou ver se ele consegue, só um minuto.

Valdecir: oi, oi?

O empresário conta que no tempo em que foi tentar conversar com o homem caído, para perguntar se ele queria ajuda, a ligação caiu ou foi desligada.

Últimas Notícias