banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

O impacto social do Slow Fashion, a moda sustentável

O Slow Fashion promove uma produção feita de forma mais lenta, prezando pela qualidade e produtos orgânicos e que não degradem a natureza, além de reforçar a conexão entre roupa, humano e meio ambiente.

Em 2014, a produção da indústria têxtil chegou a produzir cerca de 6 bilhões de peças em todo o mundo, sendo o Brasil o dono do 4º lugar de países que mais contribuíram para esse alto número. Em nosso país, produzimos todos os anos mais de 175 mil toneladas de resíduos têxteis, e apenas 4% dessa quantidade é reciclada.

Para mudar essa realidade, surge na sociedade e na indústria da moda um novo conceito, que busca conciliar moda e sustentabilidade e frear o consumismo, desperdício e poluição mundial: o Slow Fashion.

Mas o que é a Slow Fashion? Com uma sociedade mais consciente sobre a importância de levar uma vida mais sustentável e menos agressiva com o meio ambiente, empresas e pessoas estão adotando este novo modelo estilo de vestimenta.

O Slow Fashion foi criado em 2008 por Kate Fletcher, que inspirada pelo movimento do Slow Food, criou uma versão que pudesse ser implantada no design e consumo de roupas sustentável.

O mercado têxtil atualmente é formado principalmente por uma produção industrial e massiva dos produtos, muitas vezes de uma qualidade duvidosa, para que se possa vender mais e por um preço mais em conta no mercado. No mundo da moda não é diferente: são feitos inúmeros desfiles e uma variedade de roupas diferentes entre si, o que sugere uma troca de guarda-roupa em toda a estação.

A moda Slow vai totalmente contra isso: ela promove uma produção feita de forma mais lenta, prezando pela qualidade e produtos orgânicos e que não degradem a natureza, além de reforçar a conexão entre roupa, humano e meio ambiente.

Ela também implica em um olhar mais abrangente, ético e holístico dos nossos hábitos. Onde tomamos consciência de que muitas vezes compramos produtos e roupas por influência da mídia ou puro gosto, não sendo realmente necessária a compra naquele momento.

Essa compra desenfreada acaba gerando impactos negativos na sociedade e meio ambiente, já que temos um desejo cada vez maior pelo imediatismo e consumismo, e para saciar isso, acabamos retirando mais matérias primas do meio ambiente, causando desmatamento e caça de animais, além do descarte rápido que promove o acúmulo de lixo.

Assim, o Slow Fashion quer que o usuário tenha uma maior consciência e dê uma vida útil maior para as suas roupas, como usar as mesmas roupas de frio por vários anos, escolher cores básicas e itens que sempre estarão em alta, etc.

Uma outra característica marcante desta nova moda é o incentivo aos modelos de negócios locais e independentes, como a frequentação de bazares, designers independentes, roupas artesanais feitas por tecelãs e produtores locais, etc.

É importante que se estimule a economia e moda da própria região, garantindo a renda de pequenos produtores, em vez de consumir apenas roupas feitas por grandes marcas, com preços altíssimos (caso seja de marca) e qualidade nem sempre boas.

Apesar de o preço não ser tão barato, o valor compensa ao levar em conta o cuidado, técnica e consciência com o meio ambiente e sustentabilidade.

É importante lembrar que devemos pagar por um preço justo para todos os envolvidos no processo de criação da matéria prima, confecção e design dessas peças, para que todos tenham condições de criarem peças de altíssima qualidade e que durem bastante.

Diante disso, a Korsair procura alinhar suas peças e identidade da marca acompanhado do conceito de Slow Fashion, uma vez que suas peças e estampas são feitas de forma natural, ao mesmo tempo que permite que pessoas de todo o país tenha acesso à roupas sustentáveis, de qualidade e exclusivas.

Acreditamos e vemos as roupas que produzimos como obras de arte, e como tal, precisam transparecer os valores e crenças, e não apenas produzir peças idênticas, sem identidade e de forma quase automática.

1 de dezembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Contato

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: 41.8713-4418

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest