Queda no comércio não prejudica otimismo para Black Friday

Expectativa de venda e o aumento de novos compradores gera oportunidade para micro e pequenas empresas

Queda no comércio não prejudica otimismo para Black Friday

Dados divulgados pelo IBGE evidenciam que as vendas do comércio continuam prejudicadas desde maio, ainda por conta da greve dos caminhoneiros. Em julho foi registrado queda de 0,5% das vendas no mercado brasileiro, se comparado ao mês anterior. Mesmo assim as expectativas para a Black Friday, com data em 23 de novembro, estão altas.

Segundo último levantamento do Google, 81% dos 1.500 entrevistados declararam que pretendem comprar durante a Black Friday. O número de pessoas que conhecem a data comercial subiu de 27% dos respondentes, em 2014, para 99,5% em 2018. Os novos compradores estão aumentando gradativamente e a classe C é que mais se insere nesses percentuais, seis entre dez pertenciam à classe C.

Para os pequenos e microempresários esta é uma oportunidade que traz muitas vantagens e possibilidades de aumento de vendas. Segundo Lars Leber, country manager da Intuit, é preciso se preparar o quanto antes. “Para uma ação eficiente é importante conhecer muito bem o próprio negócio e neste caso o controle das finanças pode ser um aliado fundamental na definição da estratégia comercial”, diz.

Foi pensando neste momento estratégico que a Intuit preparou quatro dicas infalíveis pré-Black Friday, para que os empresários possam ter os melhores resultados com a data.

• Foque na campanha e nos descontos: Por meio do seu controle financeiro, analise suas vendas dos últimos meses, entenda suas margens e quais produtos têm em estoque. Determine então o objetivo da campanha, o público que deseja atingir e só então defina quais produtos e serviços serão ofertados e quanto de descontos você irá adicionar. Com a ajuda do QuickBooks, por exemplo, é possível fazer análises financeiras para medir a margem dos produtos/serviços e poder definir os descontos a serem estabelecidos de forma prática e inteligente. Com isso em mente é possível decidir quanto pode ser investido em ações de marketing para divulgação e captação de novos clientes.

• Não fique com o estoque vazio: Outra questão essencial quando se trata de Black Friday é o planejamento do estoque. É importante avaliar quais produtos podem entrar em uma “queima de estoque”, avaliar quantidades para garantir volume de vendas e, por fim, identificar a condição real do estoque e os produtos que possuem maior rotatividade. O mesmo critério vale para a oferta de serviços. Analise sua capacidade de entrega e qual prazo pode cumprir para não ter problemas com a entrega após a venda.

• Entenda – e se planeje para - a gestão de diferentes modos de pagamento: Nenhuma das dicas acima se torna possível sem a gestão do fluxo de caixa. É preciso estar atento para administrar diferentes formas de pagamento, como parcelamentos, e avaliar precificação dos produtos tendo em mente as taxas de cartão de crédito, além de estabelecer os fretes e estudar a implantação do frete grátis a partir um valor total de compra, como acontece com frequência nos e-commerces. É importante garantir que a promoção não irá ter um impacto negativo nos meses pós Black Friday e que não haja um desencontro de caixa entre os investimentos realizados para campanha e o efetivo recebimento das vendas.

• Faça estimativas para próximas vendas: Crie orçamentos e avalie expectativas a curto, médio e longo prazo, incluindo os meses que antecedem a Black Friday. Organizar o que se espera para cada mês torna possível uma análise posterior do que se concretizou ou não, isso ajuda a entender melhor o seu negócio a cada ação realizada. Essas informações também serão importantes para promoções futuras – com um histórico documentado do que aconteceu em promoções anteriores, fica mais fácil prever e se preparar para futuras campanhas.

Veja mais em www.quickbooks.intuit.com/br

Últimas Notícias