banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

A moda sob demanda é um novo formato para o consumo consciente

Um caminhão de lixo têxtil é desperdiçado por dia. Para reduzir os impactos da indústria da moda, você precisa conhecer as marcas a fundo, prestar atenção na cadeia produtiva e comprar apenas o que te representa

Consumir de forma consciente e sustentável é a moda da vez. E se há alguma dúvida sobre o assunto, é melhor ficar atento aos fatos: um caminhão de lixo têxtil é desperdiçado por dia no mundo, segundo dados da pesquisa da fundação Ellen MacArthur, divulgada no fim do ano passado.

Quem nunca comprou uma roupa só por estar na promoção ou porque queria testar uma tendência passageira? Repensar os próprios hábitos de consumo é um jeito de contribuir para amenizar os impactos da indústria da moda. O primeiro passo para assumir este compromisso é pensar no que está por trás de cada peça de roupa, da fabricação às mãos do consumidor.

Conhecer a fundo as marcas e escolher aquelas que tentem ao máximo adotar medidas sustentáveis é o ideal. Uma medida prática é apostar em empresas nacionais que trabalham com o modelo de fabricação sob demanda como a startup Colab55, que só produz depois que a compra é feita e não mantém estoque, evitando o desperdício.

Na pegada do consumo consciente, clientes devem ter um olhar mais ativo sobre o que compram. Para isso, a moda precisa deixar de ser tendência para se transformar em narrativa própria. Isso significa abandonar estilos passageiros e investir no que de fato expressa sua personalidade.

A proposta do movimento é vestir - literalmente - suas paixões, causas e hobbies. Ainda na Colab55, são artistas independentes que criam milhares estampas para 20 produtos diferentes - como camisetas, bolsas, leggings, pôsteres, almofadas e cadernos.

"Não somos todos iguais e precisamos dar um basta na produção em massa. Quando o produto fala sobre quem você é, não há risco da peça ficar fora de moda na próxima estação. Afinal de contas, autenticidade está sempre in.", diz Bárbara Veloso, fundadora da Colab55.

Mas o que fazer com produtos já comprados e que foram deixados de lado? Ao invés de adquirir novas mercadorias, consumidores conscientes preferem reinventá-las. Se estiver sem criatividade, o YouTube está cheio de canais de customização, como o BuzzFeed Nifty, que dão ideias de como reutilizar peças de roupa e móveis de uma forma totalmente inusitada. Assim não há desculpas para ficar de fora do movimento.

27 de novembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Contato

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: 41.8713-4418

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest