PF investiga “fake news” sobre greve de caminhoneiros

Entidades já afirmaram não apoiar eventual paralisação

PF investiga “fake news” sobre greve de caminhoneiros

O Ministério da Segurança Pública divulgou uma nota nesta segunda-feira (3) na qual informou que a Polícia Federal investigará mensagens que circulam no WhatsApp sobre uma suposta nova paralisação de caminhoneiros.

As principais entidades que representam a categoria – a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) e a Associação Brasileira dos Caminheiros (Abcam) – já disseram que não apoiam uma eventual nova greve e afirmaram que uma imagem que circula nas redes sociais é de uma associação que não representa os caminhoneiros.

"Por determinação do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, a Polícia Federal investigará mensagens com informação falsa sobre uma suposta paralisação de caminhoneiros, que circulam por Whatsapp desde a madrugada do dia 3 deste mês", diz a nota do ministério.

Na última sexta-feira (31), a Petrobras anunciou reajuste de 13% no preço do litro do óleo diesel. No sábado (1º), a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) informou que, diante do aumento, atualizará os preços da tabela de fretes.

Neste domingo (2), o presidente da CNTA, Diumar Bueno, afirmou que não há chance de paralisação entre os associados. Ele afirmou, também, que nenhuma entidade sindical que coordenou e participou do movimento anterior está se organizando para uma paralisação.

Últimas Notícias