Rua São Francisco terá paraciclos e balizadores

Região passará por uma nova revitalização

Rua São Francisco terá paraciclos e balizadores

Rua do Fogo, do Hospício, do Terço ou simplesmente San Fran, como foi recém-apelidada pelos frequentadores, a Rua São Francisco terá novas calçadas e implantados paraciclos para oferecer melhor estrutura a pedestres e ciclistas que trafegam pela região mais antiga da cidade. Ação faz parte do Rosto da Cidade, projeto de recuperação urbana do centro histórico. “Resgatar a identidade de Curitiba. Esta é a proposta do Rosto da Cidade, porque uma cidade de vanguarda não admite ruínas nem o abandono”, afirma o prefeito Rafael Greca, idealizador do projeto. Entre as intervenções a serem feitas na São Francisco está a implantação de paraciclos, para atender à demanda dos frequentadores da rua, e de balizadores, para impedir que veículos estacionem sobre as calçadas. Será removido o pavimento deteriorado, implantada nova base em concreto e serão instaladas placas vibroprensadas de alta resistência nas calçadas seguindo o padrão atual. Também será recuperado o calçamento de petit-pavê na esquina da Rua São Francisco com a Barão do Serro Azul, considerando a complementação do desenho existente e reassentado o meio-fio em toda a extensão da via. Na quadra entre as ruas Barão do Serro Azul e Riachuelo, para garantir a faixa acessível com a largura de 1,20m (mínimo exigido pela NBR 9050), deverá ser retirado um trecho do matacão (rochas arredondadas) colonial, que será reassentado junto ao meio-fio. Na esquina com a Rua Barão do Serro Azul será implantada uma faixa elevada para a segurança na travessia ao Largo da Ordem. O projeto está em fase final de orçamento. Após esta etapa será realizado o processo licitatório para as obras. A previsão é que os trabalhos de revitalização possam ser iniciados no começo do ano que vem. “O começo das obras para o início do próximo ano foi definido em consenso com os comerciantes da Rua São Francisco, como forma de não prejudicar o movimento das festas de fim de ano”, explica arquiteto Mauro Magnabosco, da coordenação de projetos do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

Últimas Notícias