Samba mineiro de Janamô faz tributo a Elza Soares

Cantora mineira se apresenta no dia 7, na Caixa Cultural

Em sua participação no Projeto Samba de Bamba, Janamô e Paulão 7 Cordas vão apresentar releituras para a obra da “Mulher do Fim do Mundo”, com foco no samba de raiz, em canções como “O Malandro” e “Dura na Queda”, ambas de Chico Buarque. Dona de uma voz doce e forte, potente e suave, a artista é capaz de transitar com propriedade e destreza pelo samba e pelo choro. Em sua apresentação, ela imprime diferentes nuances e incursiona com autonomia na diversidade rítmica da MPB contemporânea ciente de que sua força é originária da cultura popular, dos cantos afro-brasileiros, dos tambores e minas e das tradicionais rodas de samba que frequenta. Em Curitiba, Janamô também vai relembrar algumas canções do seu álbum de estreia, “Festeira” (2014), quando ainda tinha o nome artístico de “Janaína Moreno”. No entanto, o repertório do show tem como espinha dorsal a bossa de Elza Soares – que a cantora mineira também homenageia como uma das intérpretes do musical “Elza”, em cartaz no Rio de Janeiro. Janamô conta que se inspirou na pesquisa do musical para a criação desse show inédito que reverencia o passado de Elza dentro do grande presente que é o samba. “Elza deu voz ao samba, gênero que a consagrou desde o sucesso de ‘Se acaso você chegasse’, do compositor Lupicínio Rodrigues, que também interpreto no show”, diz a artista. Cantora-revelação da atual safra de intérpretes que ilumina a cena musical brasileira, a mineira Janamô é também atriz, compositora, dançarina e percussionista. Deu seus primeiros passos na arte ainda em Belo Horizonte (MG), onde foi coroada “Rainha da Madrugada” por estar à frente de um projeto de muito sucesso na capital mineira: o “Samba da Madrugada”. Janamô vem se dividindo entre Belo Horizonte e Rio de Janeiro, desde o final de 2009, depois que venceu o prêmio “Novos Bambas do Velho Samba “ – e foi finalista no prêmio “Divas da MPB” e no prêmio “Talentos do Samba”, com curadoria de Arlindo Cruz e Dudu Nobre. A artista vem dando passos sólidos na consolidação de sua carreira em meio a um mercado fonográfico desacelerado, porém atento aos talentos promissores que se apresentam com criatividade, autenticidade e irreverência. Janamô chega ao “Samba de Bamba” com a segurança de quem bebeu na fonte, de quem buscou inspiração nos grandes mestres, tais como Jacob do Bandolim, Milton Nascimento, Cartola, Candeia, Ary Barroso, Noel Rosa, Nelson Cavaquinho, Ataulfo Alves, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Paulinho da Viola, Baden Powell, Vinícius de Moraes e Paulo César Pinheiro. Em sua presença cênica fica evidenciada a força do feminino e é possível identificar desde a dramaticidade e brejeirice de Clara Nunes, a irreverência de Carmem Miranda, a articulação e a rítmica de Ademilde Fonseca, a autenticidade e a força negra de Elza Soares, a passionalidade de Elis Regina, a elegância de Elizeth Cardoso e a sensibilidade de Dona Ivone Lara. É essa inspiração, provocada por mulheres extraordinárias, que ajuda a construir a história da jovem cantora que se destaca por suas múltiplas linguagens artísticas e por suas interpretações vivas, primorosas e contagiantes. Serviço Música: Samba de Bamba com Janamô Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR). Data: 07 de agosto de 2018 (terça-feira) Horário: 20h Ingressos: Vendas a partir de 04 de agosto (sábado). R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA).

19 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest