banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

Os perigos da utilização de carvão ativado no clareamento dos dentes

A busca constante por produtos “milagrosos” que prometem solucionar questões de beleza é cada dia mais evidente no mercado brasileiro e internacional



A busca constante por produtos “milagrosos” que prometem solucionar questões de beleza é cada dia mais evidente no mercado brasileiro e internacional. Um sorriso branquinho, por exemplo, é o desejo de muitas pessoas que estão incomodadas com a cor de seus dentes. Uma das alternativas, ainda não comprovadas cientificamente pelos especialistas, mas que está “na moda”, é a utilização do carvão ativado. O produto é utilizado para diversos fins, desde o tratamento da água até na indústria de produtos alimentícios e farmacêuticos pelo seu poder de clarificação, desodorização e purificação em alguns processos. Mas será que o mesmo pode ser utilizado para clarear os dentes como vemos nas redes sociais?


Para a cirurgiã-dentista Stephanie Alves, da Clínica Conceito Ki by Hirata e Higashi, clínica especializada em estética dental em Curitiba, “não há estudos que comprovem e embasem a utilização do carvão ativado, uma vez que sua ação abrasiva pode acarretar danos irreversíveis, como: desgaste, erosão e exposição da raiz dentária”. Ele lembra que em 2017, a Journal of American Dental Association afirmou não haver evidências de que os produtos odontológicos com carvão ativado sejam seguros e eficazes para os dentes. A Associação Brasileira de Odontologia repudia tal uso para o clareamento dental e afirma que essas “receitas caseiras não tem capacidade de clarear os dentes”.

Stephanie Alves trabalha especialmente a parte estética, de restaurações e clareamento dental, e afirma que a utilização desse produto realmente “elimina a placa bacteriana e manchas superficiais provocadas pela pigmentação de alguns alimentos. Porém, sua composição é altamente abrasiva removendo a camada superficial, arranhando e desgastando o esmalte dentário deixando-o poroso, quebradiço e mais susceptível a cáries. Essa camada de esmalte removida não tem como ser regenerada”, alerta.

Embora o uso do produto seja perigoso para saúde, muitas blogueiras e influenciadoras digitais disseminam o seu uso e acabam indicando produtos para um público expressivo. Tal atitude, segundo Stephanie, não revela a verdade. “Elas costumam postar e comparar fotos através do ‘antes e depois’, prática comum na internet, mas sem uma escala de cor mostrando o resultado. Além do mais, normalmente essas fotos não são feitas nas mesmas condições de iluminação e posição, o que gera uma falsa expectativa na população”.

A única maneira de auxiliar no clareamento caseiro, segundo a doutora Stephanie, é “através da higienização com fio dental, escova dentária e pasta de dente removendo a placa bacteriana. Além de controlar a ingestão de alimentos muito pigmentados que podem gerar manchas externas”. Mas para quem ainda assim busca uma solução eficaz na busca do clareamento dentário, a solução é procurar um profissional capacitado e pedir uma avaliação. “O paciente precisa passar por uma avaliação profissional e para definir o tratamento que mais se adequada a sua rotina e condição bucal”, diz.

A partir daí a doutora relata como o processo de clareamento profissional funciona: “ao aplicar o produto no dente há a penetração do gel na estrutura ocorrendo uma reação química onde os pigmentos escuros são quebrados em moléculas menores, sendo mais facilmente eliminadas e aumentando a luminosidade dos dentes. Neste período é preciso ter cuidado com a ingestão de bebidas e alimentos com corantes, pois associados ao pH ácido prejudicam e mascaram o resultado do tratamento. Alguns pacientes sentem sensibilidade e leves “choquinhos” que podem ser controlados através de anti-inflamatórios, intervalos entre as sessões e porcentagem do gel clareador”.

Para este procedimento, a Ki Odontologia tem um diferencial bastante importante no tratamento: “a alta efetividade do tratamento com baixa sensibilidade. O clareamento tem duração, em média, de 2 anos e dependendo da necessidade e exigência estética do paciente, pode ser refeito a cada 6 meses ou 1 ano”.

Outra dúvida bastante comum é que em algumas pessoas os dentes, mesmo com clareamento, não ficam tão branquinhos. A profissional explica que o amarelamento acontece devido ao envelhecimento natural da dentição, consumo de alimentos com pigmentos fortes (café, vinho tinto, molhos escuros), alguns medicamentos, álcool e o tabaco. Além disso, há variação na coloração da composição dos dentes de cada paciente e na resposta deles ao clareamento, não sendo possível ter previsibilidade exata de cada resultado.

Portanto, não corra riscos e não acredite em tudo que está na internet. Antes de realizar uma experiência e ter resultados inesperados e até mesmo catastróficos com a utilização do carvão ativado ou de qualquer outro produto milagroso, busque informações em fontes confiáveis e consulte um especialista.

Sobre Stephanie Alves - Graduada pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), aluna da especialização em Prótese Dentária na UFPR. Atualmente atua como cirurgiã-dentista na Clínica Conceito Ki by Hirata e Higashi em Curitiba, Paraná. Monitora no curso de especialização em dentística; no curso de atualização em estética avançada; no curso de intensivo de lentes de contato e restaurações estéticas metal free; e no curso de escultura dental com resinas compostas em dentes anteriores e posteriores, realizados na Faculdade Ilapeo.


Serviço:

Ki Clínica Conceito Odontologia e Estética

Rua Fernando Simas, 240

Batel Soho, Curitiba (PR)

http://www.ki.odo.br/

1 de dezembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Contato

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: 41.8713-4418

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest