Paulo Beto se apresenta na série Solo Música

Artista mescla música eletrônica e música clássica

A Série Solo Música traz a Curitiba um tipo de concerto inédito em seu espaço: a música eletrônica de Paulo Beto, também conhecido como Anvil FX. A apresentação, que acontece no dia 10 de julho, promete surpreender. “Paulo Beto procura uma interação entre a música eletrônica de linguagem pop e o universo da música clássica”, diz Álvaro Collaço, produtor e curador da série Solo Música.

Apesar de estar presente em rádios, pistas de dança, trilhas de cinema e novelas, nos computadores e em outros equipamentos eletrônicos, a música eletrônica é pouco relacionada a teatros, sobretudo em programações relacionadas à música erudita. Munido de sintetizadores analógicos, Paulo Beto faz, ao mesmo tempo, uma homenagem ao passado e aponta elementos do futuro do gênero musical. “Quero apresentar um pouco sobre a evolução da música eletrônica. Outro foco é revelar as possibilidades eletrônicas que expandiram a maneira de pensar a música”, explica o artista.

No programa do concerto estão composições que dialogam com a música clássica, tais como “Bachteria”, composta por Paulo Beto em homenagem a Johann Sebastian Bach, a “Sinfonia 2018, opus 1”; e as homenagens a Jorge Antunes, carioca que reside em Brasília e foi o precursor da música eletroacústica no Brasil, e a Jocy de Oliveira, compositora curitibana pouco conhecida em sua cidade e que há anos reside no Rio de Janeiro. O concerto encerra-se, contudo, em clima “disco” e retrô com “The Chase”, música escrita por Giorgio Moroder para o filme “O Expresso da Meia Noite”.

Ativista da música eletrônica

Um dos principais artistas da cena eletrônica de São Paulo, Paulo Beto nasceu em Minas Gerais. É mentor do grupo Anvil FX, em parceria com Juliana R. e Bibiana Graeff. Lançou seis CDS e dois LPs com músicas próprias e tem participações em coletâneas no Brasil, Itália, França, Alemanha, Espanha, Estados Unidos e Japão. Dividiu o palco com artistas internacionais como Swamp Terrorists, Atari Teenage Riot, Ed Rush, Flanger, Nicola Conte, Amon Tobin, Stereolab, Truus de Groot e James Sclavunos (atual baterista do Nick Cave and Bad Seeds). Participou de improvisação livre com o vocalista Damo Suzuki (ex-CAN).

Paulo Beto já se apresentou em Nova York, Barcelona, Monterrey, Buenos Aires, Paris, Berlim e em Cannes, na França. Produziu remixes e tem parcerias com Otto, Trio Mocotó, Pat C, Andréa Marquee, Zé do Caixão, Rica Amabis, Antonio Pinto (“Cidade de Deus” remixes), Le Hamond Inferno, Peter Thomas, Flu e Mawaca. Foi coprodutor e músico no evento "Tributo à Rogério Duprat – experiências tropicais" realizado em São Paulo, em 2003, com participações de Ruriá Duprat e Arnaldo Dias Baptista. Desenvolve o projeto Zeroum, junto com Tatá Aeroplano, que explora ritmos e temas ligados ao transe eletrônico e à psicodelia, com pitadas de Krautrock – nome genérico atribuído às bandas experimentais na Alemanha do final dos anos 1960 e início da década de 1970. Desde 1997, compõe e faz performances ao vivo para trilhas sonoras de filmes mudos. Através da sua produtora, a Anvil FX Music and Sound Design, cria trilhas para comerciais e cinema.

Serviço

Música: Solo Música com Paulo Beto

Local: CAIXA Cultural Curitiba. Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR).

Data: 10 de julho de 2018 (terça-feira)

Horário: 20h

Ingressos: vendas a partir de 07 de julho (sábado). R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h; e domingo, das 16h às 19h.)

Classificação etária: Não recomendado para menores de 10 anos.

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Últimas Notícias