Protesto de servidores adia votação de reajuste

Funcionários do Executivo pedem igualdade com Legislativo e Judiciário

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) adiou novamente, na tarde desta segunda-feira, a votação do reajuste dos servidores da própria Assembleia, do Ministério Público, do Tribunal de Justiça, do Tribunal de Contas e da Defensoria Pública. Os projetos que previam reajuste de 2,76% foram retirados a pedido do presidente Ademar Traiano e do líder do Governo, Pedro Lupion.

Os projetos vinham sendo criticados por sindicatos de servidores do Executivo, que se sentiram “excluídos” das propostas de reajuste. O reajuste do Executivo foi suspenso pelo ex-governador Beto Richa (PSDB) em 2016 e 2017, e neste ano os projetos de reposição salarial contemplaram apenas os poderes Judiciário e Legislativo. Durante a sessão de ontem, servidores da APP-Sindicato

Os projetos devem voltar à pauta da Assembleia apenas na semana que vem. Em reunião com sindicalistas, a governadora Cida Borghetti informou que enviará ainda nesta semana uma proposta de reajuste à Assembleia, mas alertou que dificilmente será concedido o índice de 2,76%. Segundo Cida, não há recursos suficientes no orçamento para pagar progressões de direito e reposição integral da inflação.

27 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest