banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

Anne Redpath da Escócia para a excelência do expressionismo

Seus temas principais eram paisagens e naturezas-mortas, ricamente coloridas e amplamente tratadas na tradição dos *coloristas escoceses

Foto - Anne Redpath, Still Life with White Jugoil on board H:32cm W:25cm Valor - £27,500 na scottish-gallery

Uma pintora escocesa que nasceu em Galashiels, filha de um designer de tweed (Tweed é um tecido de lã cardada, armado de tela ou sarjado, geralmente tramado com fios de duas cores e usado na confecção de roupas esporte), mais tarde ela descreveu como usava manchas de cor de maneira semelhante aos fabricantes de tweed: "Eu faço com uma mancha vermelha ou amarela em uma harmonia de cinza, igual ao meu pai que fez em seu tweed”.

Em 1913, ela estudou no Edinburgh College of Art e, em 1920, casou-se com James Beattie Michie, um arquiteto da Comissão War Graves, na França, onde viveram pelos próximos 14 anos.

Durante esse tempo ela fez pouca pintura, dedicando-se à sua família (ela teve três filhos). Em 1934, retornou à Escócia, vivendo primeiro em Hawick e depois em 1949, em Edimburgo (ela se afastou gradualmente do marido, que trabalhava em Londres).

A partir da década de 1950, ela alcançou uma posição de destaque no mundo da arte escocesa e recebeu várias honrarias. Seus temas principais eram paisagens e naturezas-mortas, ricamente coloridas e amplamente tratadas na tradição dos *coloristas escoceses (em seu trabalho posterior há, por vezes, uma sugestão de *expressionismo). Ela viajou bastante, pintando paisagens, por exemplo, na Espanha e em Portugal.

Fonte do texto: O Dicionário Oxford de Arte e Artistas (Oxford University Press)

Assista o vídeo abaixo

30 de novembro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Contato

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: 41.8713-4418

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest