Grupo leva adaptação de Shakespeare ao interior do Paraná

20 apresentações serão gratuitas seguidas de debates

Em abril as cidades de Irati, Telêmaco Borba, São Mateus do Sul, Quedas do Iguaçu e Pato Branco irão receber o espetáculo “O Rei Louco – Uma Pequena Versão de Rei Lear, de William Shakespeare”. A peça faz parte do Projeto Shakespeare no Paraná, que, além das apresentações, oferece ainda debates e workshops. Todas as ações serão gratuitas. Ao todo serão 20 apresentações seguidas de debate, quatro em cada cidade (três para público dirigido e uma aberta) e um workshop em cada uma delas. A iniciativa é do ator e diretor Mauro Zanatta, da Ator Cômico Produções Artísticas, de Curitiba, e é voltada especialmente para alunos do ensino médio das escolas da rede pública do estado.

O projeto viabiliza uma parceria inédita entre Zanatta e o ator Ney Piacentini da Companhia do Latão de São Paulo, que foi convidado para dirigir o espetáculo. “O Mauro é um amigo de longa data, nos conhecemos há 35 anos, mas é a primeira vez que trabalhamos juntos, dirigi-lo tem sido um grande desafio e uma grande oportunidade”, conta o diretor. “Trabalhar com o Ney tem sido uma grande alegria”, retribui Zanatta. “Interpretar um personagem de Shakespeare é o sonho de todo ator, bem como levar uma obra dele ao palco. Com este projeto que tem como principal foco os adolescentes do interior do estado estamos permitindo o acesso à obra deste gênio. E quando nos aproximamos dele nos damos conta do quão universal ele é. Rei Lear dialoga muito com a atualidade”, opina.

Zanatta divide o palco com o ator Pedro Melo e eles se revezam e transitam em três registros de atuação: ora são contadores de história, ora personagens, ora arautos. “A narrativa da peça não é linear, é constantemente interrompida com inserções explicativas que contextualizam o tema. A ideia é aproximar o público, torná-lo nosso cúmplice”, explica Piacentini.

“Shakespeare é caracterizado pela liberdade e inventividade e nesta montagem trabalhamos com o essencial e isto exige muita técnica do ator. É fundamental, neste caso, conseguir despertar o imaginário do público. Ou seja, o público tem que ver o que estamos imaginando ” relata Pedro.

Rei Lear foi escrita por volta de 1605 por um dos maiores gênios do teatro em seu período de apogeu. Trata-se de uma tragédia complexa e grandiosa que a partir de um drama familiar repercute questões sociais, políticas e metafísicas. Inspirada por antigas lendas britânicas, a obra conta a história de um rei que enlouquece após ser traído por duas de suas três filhas, às quais havia legado seu reino de maneira insensata.

A peça mostra a decadência de um rei em sua velhice que sofre as consequências de suas escolhas equivocadas por ser precipitado, arbitrário e vaidoso. Lear é um pai preso às aparências, incapaz de enxergar a adulação que o cerca. De acordo com a especialista em Shakespeare, Barbara Heliodora: “Lear torna-se responsável pela tragédia, na medida em que, abdicando, deixa como rei, de represar e manter sob controle o mal que aflora, explode e se expande. Esta peça investiga a natureza do mal em profundidade e expõe o conceito de uma ordem universal na qual o homem se integra e é responsável por suas ações.”

A trajetória de Lear é o aprendizado pelo sofrimento e humilhação. O enredo aponta como o verdadeiro amadurecimento o indivíduo que deixa de ser primeiramente autocentrado e pensa também no outro. “As obras de Shakespeare espelham as nossas relações sociais e discutem questões profundas da existência humana. Uma das camadas deste texto nos remete à busca pelo sentido da vida”, pontua o diretor.

"Apesar de estarmos vivendo tempos difíceis, obscuros no cenário nacional e mundial, meu objetivo com este trabalho é trazer uma mensagem de esperança, de que ainda é possível viver com mais equilíbrio a partir da humildade e do amor, resgatando nossa humanidade, sem clichês”, complementa Zanatta.

Este projeto foi viabilizado com incentivo da Copel, Puma Brasil e a Alvorada Autopeças por meio do PROFICE (Programa Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura), da Secretaria Estadual de Cultura do Paraná.

FICHA TÉCNICA:

Realização: Ator Cômico Produções Artísticas

Elenco: Mauro Zanatta e Pedro Melo

Direção: Ney Piacentini

Cenários e Figurinos: Cristine Conde

Diretora de Produção: Fabiana Ferreira

Produtor Executivo: Robinson Wilson

Produção Local: Paola Flessak

Trilha Sonora: Célio Savi

Fotografias: Elenize Dezgeniski e Robinson Wilson

Arte Gráfica: Ivana Lima

Operador de Som: Robinson Wilson

Assessoria de Imprensa: Glaucia Domingos

SERVIÇO:

Cronograma das Apresentações Abertas e Workshops

Irati

Apresentação aberta e bate-papo – 07/04 (sábado) às 20h

Workshop O Jogo – para atores e não atores – 07/04 das 9h às 12h

Local: Centro Cultural Clube do Comércio / Rua XV de Julho, 310 - Centro

Telêmaco Borba

Apresentação aberta e bate-papo – 14/04 (sábado) às 20h

Workshop O Jogo – para atores e não atores – 14/04 das 9h às 12h

Local: Auditório Professora Carmen Iolanda Dalecio - Anexo a Secretaria de Educação /Alameda Washington Luiz, 50

São Mateus do Sul

Apresentação aberta e bate-papo – 21/04 (sábado) às 19h

Workshop O Jogo – para atores e não atores – 21/04 das 9h às 12h

Local: Centro Cultural CEPE / Rua Manoel Cunha Bittencourt, 2100

Quedas do Iguaçu

Apresentação aberta e bate-papo – 27/04 (sexta-feira) às 20h

Workshop O Jogo – para atores e não atores – 28/04 das 9h às 12h

Local: Associação do Centro de Cultura e Sustentabilidade de Quedas do Iguaçu / Avenida Tarumã, 1880 – Centro

Pato Branco

Apresentação aberta e bate-papo – 28 e 29/04 (sábado e domingo) às 20h

Workshop O Jogo – para atores e não atores – 29/04 das 9h às 12h

Local: Teatro Naura Rigon / Rua Jacireta, 450

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

17 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest