Polícia Ambiental prende suspeitos de tráfico de animais

Suspeitos teriam matado pelo menos duas onças-pintadas

A Polícia Ambiental prendeu 20 suspeitos durante uma operação contra grupos especializados na caça, tráfico e comércio de animais silvestres e contra o comércio ilegal de armas e munição.

A ação, batizada de Artemis – deusa grega da vida selvagem e da caça – foi realizada entre sexta-feira (16) e este sábado (17) no Parque Nacional do Iguaçu e no Parque Estadual do Rio Guarani, no oeste do Paraná.

Foram cumpridos 38 mandados de busca e apreensão em Catanduvas, Três Barras do Paraná, Capitão Leônidas Marques e Cascavel.

De acordo com o comandante da 5ª Companhia de Polícia Ambiental, capitão Nilson Figueiredo, as investigações se estenderam por seis meses e levaram à deflagração da maior operação realizada pela Força Verde no Paraná em dez anos.

Em uma das casas vistoriadas, os policiais descobriram uma fábrica de armas. No local foram apreendidos equipamentos como máquinas de recarga de munição.

Entre os animais abatidos pelos suspeitos estão duas onças-pintadas, uma onça yaguarundi, tatus, capivaras, pombos e gatos do mato.

Foram recolhidas ainda 27 armas - quatro delas de pressão -, 4,4 mil cartuchos de munição, 4,6 mil espoletas, várias armadilhas, uma motosserra, 5 m³ de madeira e 40 pássaros silvestres, além de carne de animais abatidos e couro.

Os presos foram encaminhados para a delegacia da Polícia Federal em Cascavel, onde assinaram termos circunstanciados e foram liberados.

Últimas Notícias