Parte de escultura é roubada na Bienal de Curitiba

Obra de artista chinês estava na parte externa do MON

Uma parte da escultura "Original Sin", do artista chinês Liu Ruowang, que estava exposta na Bienal de Arte de Curitiba, foi roubada nesta semana na capital paranaense -os organizadores ainda não sabem dizer a data exata do roubo. Um boletim de ocorrência foi registrado, neste sábado (17), no 2º Distrito Policial da cidade.

Com comprimento e largura de quase três metros, a obra é uma escultura em resina de um livro com uma figura semelhante a um macaco deitada em cima dele. Foi o macaco a parte levada pelos criminosos. Ela estava exposta na parte externa do Museu Oscar Niemeyer, um dos espaços que recebe as exposições da Bienal. A escultura não tem sinais de depredação, o que faz os organizadores da mostra e a polícia suspeitarem que o macaco tenha sido retirado com o uso de ferramentas, um processo que poderia levar uma ou duas horas -o que significa que o ladrão teve tempo para cometer o furto.

A partir desta segunda (19), a Polícia Civil vai consultar as câmeras de segurança do museu para tentar identificar o suspeito. A segurança da mostra é feita por uma empresa terceirizada, a Emparseg. O presidente da Bienal afirmou ainda não poder estimar o valor da escultura, mas disse tratar-se de uma obra "valiosa". "É uma obra valiosa, um artista extremamente conhecido, que faz parte de coleções em vários países. É uma tristeza que isso tenha ocorrido."

Publicidade

Últimas Notícias

27 de Fevereiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais Certificados

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale