Hand Poke oferece processos com uma ligação intimista

Ponto por ponto na construção de energia corporal

Sarah March confia em uma técnica de tatuagem não convencional para criar arte corporal impressionantes. A Chamada Hand Poke, é um método não-elétrico - que foi usado originalmente por tribos antigas e prisioneiros - envolve a inserção de tinta na pele através de uma única agulha. Para construir a linha e aplicar sombreamento, March usa um efeito “stipple” para seus projetos monocromáticos.

Muitas das tatuagens de Sarah descrevem padrões que não possuem contornos definitivos. Em uma entrevista ela explica: "Cada ponto é parte integrante da arte." Por isso, ela gosta de mandalas e outros assuntos que apresentam motivos geométricos.

A meticulosidade deste método comunica muito mais do que apenas uma vontade de suportar a dor: também destaca o relacionamento íntimo entre o artista e o cliente, pois essas peças são feitas à velocidade da mão humana. É um aspecto que se perdeu com as modernas máquinas de tatuagem, e algo que Sarah está ajudando a trazer de volta.

Este é o perfil de Sarah no instagram CLICK AQUI

20 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest