Aplicativos de transporte rendem R$ 3,6 milhões para a Prefeitura de Curitiba

Regulamentação do transporte compartilhado tem três meses na cidade

O serviço de transporte compartilhado via plataformas digitais prestado por Uber, Cabify e 99 Pop já resultou no pagamento de R$ 3,6 milhões aos cofres municipais. O valor se refere ao preço público pago pelas empresas pelo uso intensivo da infraestrutura urbana na exploração comercial do serviço que vendem aos consumidores. A medida foi incluída na regulamentação realizada pela Prefeitura em 2017.

O secretário de Planejamento, Finanças e Orçamento, Vitor Puppi, destaca que a regulamentação tanto disciplinou o setor quanto tornou mais justa a taxação de um setor que vinha operando de maneira informal.

“Num momento em que Curitiba luta para vencer os desafios da crise fiscal encontrada no ano passado, esses recursos ajudam bastante no esforço de recuperação”, diz ele. “Tão importante quanto isso, é que as empresas de transporte compartilhado passaram a fazer parte das receitas do município, como deve ocorrer com todo mundo atua comercialmente.”

Como comparativo, outro segmento de transporte de passageiros, os 3.000 taxistas da cidade pagam em conjunto R$ 4,5 milhões por ano – em valores de outorga (R$ 1.350,00 por táxi) e taxa de administração (R$ 162,00). “A seguir o desempenho inicial, o transporte compartilhado destinará aos cofres municipais R$ 10 milhões a mais ao longo de um ano.”

25 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest