Prisões auxiliadas por câmeras dobram no Paraná

Duas mil câmeras públicas estão espalhadas em todo o estado

As prisões feitas em todo Paraná com o auxílio do trabalho do Centro Integrado de Comando e Controle (CICCR) foi duas vezes maior em 2017 em comparação com o ano anterior. De acordo com dados da Secretaria da Segurança e da Administração Penitenciária do Estado, em 2017 foram feitas 681 prisões com apoio do CICCR, contra 321 no ano anterior.

Criado em 2014, o Centro funciona em Curitiba e é utilizado como ferramenta policial 24 horas por dia. Cerca de duas mil câmeras públicas espalhadas pelo Estado e interligadas ao Centro permitem que equipes de inteligência façam o videomonitoramento de diferentes áreas.

Do total de prisões feitas em 2017, 399 resultaram de cumprimentos de mandados, enquanto 282 foram prisões em flagrante. Entre as prisões em flagrante, o crime mais comum foi o roubo, responsável por 97 das prisões. O tráfico de drogas resultou em 18 prisões em flagrante, enquanto 13 prisões foram realizadas por furtos.

“O Centro Integrado de Comando e Controle tem o papel de ser os olhos da segurança pública. Este relatório reforça a importância do Centro, que além de fazer o videomonitoramento, é responsável por monitorar os indivíduos que usam tornozeleira eletrônica em todo o Estado”, afirma o tenente-coronel Adilson Luiz Correa, coordenador do CICCR. “Estamos ampliando a quantidade de câmeras, trabalhando em um aplicativo para uso policial e em projetos de biometria que vão aumentar a utilização dos recursos do Centro”, disse o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária Wagner Mesquita.

Publicidade

Últimas Notícias

banner_300x250_V2_01_vacina_portais.gif

25 de Janeiro de 2021

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

   CONTATO:

         E-mail: redacao@jornale.com.br

         CEL: (41) 9.9978-9956

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest
  • Tumblr Jornale