Menos é mais nas tatuagens e na vida


Mo Ganji é um artista de tatuagem do Irã, com sede em Berlim, na Alemanha. Ele atraiu muita atenção com suas criações, feitas com apenas uma linha contínua. Este minimalismo está presente em seu trabalho, mas também em sua visão da vida. Ele diz:

"Eu acho que a lição mais valiosa que aprendi com a vida é que, se você não se faz feliz, ninguém mais fará isso por você. E não importa se isso te faz parecer egoísta, você tem que encontrar sua própria felicidade".

Essa atitude independente é uma das principais razões que levaram Mo Ganji a começar a tatuar. O artista estava perdendo as oportunidades para tomar decisões livres e ter controle em sua carreira anterior.

Ironicamente, como tatuador iniciante, ele não conseguiu tomar decisões por conta própria e teve que aceitar qualquer projeto para ganhar conhecimento e experiência. Mas quando Mo descobriu a estética de linha única, isso mudou tudo.

"Eu encontrei uma maneira de me expressar visualmente sem fazer muito "barulho" na pele. Adorei o conceito, tanto que passei dias e noites esboçando com paixão. Eu acredito que este é o ingrediente secreto do sucesso. Pelo que eu aprendi, o sucesso é 25% de talento e 25% trabalho duro e 50% de pura sorte. Mas se você faz algo que realmente da ama, as chances de ser bem-sucedido são muito maiores".

O sucesso de seu estilo único logo lhe permitiu obter seu próprio estúdio, escolher os projetos que queria e, artisticamente, ser totalmente pessoal. O conceito de Mo é simples e ainda forte. Pode ser entendido por pessoas, independentemente da sua localização e experiência. Está talvez seja a razão pela qual seu trabalho está atraindo tantas pessoas, de amantes de tatuagem veteranos para os mais novatos.

"Minha filosofia é, menos é mais. Você não precisa de muito para desenhar uma imagem porque não precisa de muito para viver uma boa vida".

Mo diz que ele acredita firmemente que apenas simpatizar na vida, o minimalismo em tatuagem traz qualidade e equilíbrio.

O tatuador também completa linhas com pontos de árvore – é sua assinatura. Eles simbolizam corpo, mente e alma. Ele explica: "Eu não sei se você percebeu, mas os pontos nunca são do mesmo tamanho. Esta diferença é uma boa comparação com a vida real, onde constantemente procuramos encontrar um equilíbrio entre esses três aspectos de nós mesmos".

Se as criações de Mo são tendência agora, o artista está convencido de que seu estilo está aqui para ficar.

"Eu acredito que minhas tatuagens têm uma qualidade duradoura. Elas são muito atemporais. Os projetos podem ser dos anos 70 e se você olhar para uma tatuagem de linha única dentro de 50 anos, ainda será muito atual. De alguma forma, como uma camiseta branca lisa, algo que você poderia usar todos os dias para o resto de sua existência".

27 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest