Um treino invisível na academia 'Nuevo Jordán'


Era fevereiro de 2008, o relógio oscilava entre uma e duas da tarde no Centro Histórico da Cidade do México, quando um pequeno grupo de pessoas entrou no Ginásio "Nuevo Jordán" na Calle Buen Tono 36; É o lendário local, com um cheiro de suor e sangue, onde foram criadas grandes lendas do boxe mexicano. Os visitantes, já localizados na administração do segundo andar, pagaram uma taxa mínima, como todos os outros, pela prática do boxe, observação e comparação de suas técnicas.

Eles colocaram luvas, alongaram e praticaram até que o gerente Rodolfo 'Güerco' Rodríguez ofereceu para ajudar aquele par de homens que, em uma primeira impressão, como disse a seu colega Lorenzo López, pareciam "pin ... oldies" vai ter um ataque cardíaco ". Entre eles, um homem alto, magro, esquisito e desgrenhado, para isso, o maior, de acordo com o "Güerco", eu o coloquei para fazer uma rodada de saco e outra de pera; Você vê que ele foi boxeador por um longo tempo, porque ele libera bons socos, e estava com luvas profissionais, ele sabe o que é o pugilismo e o sabe fazer ".

Depois de um longo período de treinamento, eles tomaram banho na academia e se aposentaram sem qualquer dor ou glória. Quando os rumores chegaram à imprensa mexicana, os repórteres foram verificar o evento. Foi até esse momento que no "New Jordan" eles aprenderam que o homem que eles viram "peludo, grande e muito fino" como descrito pelo administrador Roberto Meneses, que foi instruído e acreditava que ele caísse sobre a luna devido a um ataque cardíaco, Foi Bob Dylan, a lenda do rock e do povo que se tornou famoso em Greenwich Village, Nova York dos anos sessenta. Ele era o homem que, armado apenas com suas letras, uma guitarra e uma gaita, era capaz de cantar, recitar, narrar. Bob Dylan praticou boxe no México. E, no entanto, ninguém percebeu.

O boxe exerceu um magnetismo sobre Bob Dylan, quer porque ele o pratica ou por seu compromisso com a luta pelos direitos civis dos afro-americanos. O que conta isso é uma de suas músicas mais famosas, “Hurricane” do disco "Desejo" de 1976, inspirado pelo campeão Rubin 'Hurricane' Carter. Mais tarde, em 1999, um filme intitulado "The Hurricane", estrelado por Denzel Washington.

Carter foi preso em 1966, acusado de homicídio triplo. Na prisão, ele escreveu sua autobiografia "The Sixteenth Round" (1974), onde manteve sua inocência e enviou a várias personalidades comprometidas com a luta contra o racismo, incluindo Bob Dylan.

19 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest