Pode ser o Filho de Deus, não me importo, eu luto contra quem precisar lutar. Declara Rigondeaux


O cubano Guillermo Rigondeaux explicou seus motivos para assumir o risco de subir de duas classes de peso inteiro para desafiar o campeão super-pluma da WBO, Vasyl Lomachenko, no dia 9 de dezembro, no Madison Square Garden.

"Deixe-o pensar o que ele quer. Vamos fazer o que precisamos fazer. Temos o nosso plano de jogo ", disse Rigondeaux. "Fui até 130 libras porque era a única maneira de conseguir fazer essa luta. Prefiro que tenha sofrido um peso menor, mas quero mostrar ao mundo que posso fazê-lo movendo duas classes de peso ".

"Se é o que é preciso para lutar contra as grandes lutas, vocês vão ver em 9 de dezembro se estiver pronto ou não", acrescentou. "Eu me sinto mais forte do que nunca e vou fazê-lo e fazê-lo direito. Mover-se não teve nenhum efeito negativo na minha velocidade ou poder.

"Eu queria lutar contra ele quando ele tinha 126 libras. E tentamos e tentamos e tentamos e ele não entrou no ringue comigo. Agora ele tem 130 anos e quer entrar no ringue comigo porque ele acredita que agora ele tem a vantagem sobre mim ".

Mas ele advertiu: "O que tem de se preocupar é Lomachenko. Estou bem e farei o que eu preciso fazer quando entrar no ringue. Não me preocupo muito com o que as pessoas pensam. Eu tenho o meu poder toda vez que eu passo no ringue. Eu não procuro um nocaute. Isso acontece. É imprevisível.

"Mesmo que seja o Filho de Deus, não me importo. Eu luto contra quem eu preciso lutar. "

Mas Rigondeaux e Lomachenko são duas vezes medalhistas de ouro olímpicos e campeões profissionais do mundo. O cubano, porém, é um super galo da carreira. Ele reconhece os talentos de Lomachenko. "Ele é um ótimo boxeador e tem muitas qualidades e ele também é um campeão olímpico, várias vezes, então ele tem muito talento", disse Rigondeaux. "É a primeira vez na história que dois campeões olímpicos múltiplos vão lutar um contra o outro, enfrentar um ao outro, e será uma luta muito boa. Vai ser uma ótima luta para os fãs e será uma ótima luta histórica que os fãs sempre olharão para trás ".

Essa luta é significativa. Rigondeaux teve uma carreira cheia de frustrações. Agora ele obtém sua maior luta desde que bateu Nonito Donaire. "Estou cansado de dizer" não me fale sobre Santa Cruz, não me fale sobre Frampton "- já disse que queria lutar contra esses caras. Pergunte-lhes se eles querem lutar - qualquer pessoa, a qualquer momento, mas estou cansado de dizer isso. Pergunte a eles quem eles querem também lutar porque eles não querem lutar contra mim ", disse ele. "É a minha maneira de pensar que haverá muitas coisas maiores que virão no meu caminho após essa luta - sim, muitas coisas. Esta vitória será uma ótima coisa para minha carreira, mas tive muitas vitórias no passado e isso será mais uma vez para adicionar minhas grandes vitórias, mas haverá coisas melhores para vir depois de passar por ele.

"Eu enfrentei muita adversidade na minha vida como ela é. Eu apenas cuido do que eu preciso fazer no ringue ".

Fonte - boxingnewsonline

24 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest