A pintura de Leonardo da Vinci vendida por US$ 450,3 milhões


Depois de 19 minutos de um duelo de "sangue", com quatro compradores no telefone e um presente no leilão, o "Salvator Mundi" de Leonardo da Vinci foi vendido nessa quarta-feira à noite por US $ 450,3 milhões com taxas, destruindo qualquer obra de arte vendida em leilão passada, sendo a mais cara. Superou as "Mulheres de Argel" de Picasso, que obteve US $ 179,4 milhões na Christie's em maio de 2015. O comprador não foi divulgado imediatamente.


Houve suspiros durante toda a venda, já que as propostas subiram por dezenas de milhões até $ 225 milhões, até cinco milhões de dólares, e depois em dois. À medida que a licitação diminuiu, e um comprador ponderou o próximo aumento de vários milhões de dólares, Jussi Pylkkanen, o leiloeiro, disse: "É um momento histórico; bem espere."

Para o final, Alex Rotter, co-presidente da pós-guerra e arte contemporânea de Christie, que representava um comprador no telefone, fez dois grandes saltos para sacudir uma última oferta rival de Francis de Poortere, a cabeça de Christie de pinturas antigas.

19 de outubro de 2020

Site de Notícias de Curitiba / Paraná

Jornale: edson@jornale.com.br

             redacao@jornale.com.br

WhatsApp: (41) 8713-4418

Correio Paranaense / Jornal do Ônibus

comercial@jornaldoonibusdecuritiba.com.br

Tel. 41 3263-2002

Editorias

Editais

Siga Jornale

  • Pinterest